O startapeiro Thomas Edison: o sucesso do fracasso

Thomas Edison foi um dos maiores inventores do século XX. Entre o seu legado, estão nada mais na menos do que a lâmpada elétrica, o fonógrafo (primeira aparelho capaz de gravar e reproduzir o som) e o microfone. Para se ter uma ideia, o cara registrou no total 2332 patentes em sua vida. Nada mal para quem gosta de inventar e inovar.

O interessante em toda essa história é que o consagrado empresário americano, – sim ele era empreendedor e financiou vários projetos de pesquisa – tinha uma relação interessante com o fracasso. Hoje, já com seu nome na história e fama construída, todos sabem apenas do sucesso que Edison teve. Suas tentativas e fracasso ficaram para o esquecimento.

No entanto, ele nunca deixou de enaltecer os seus fracassos. Inclusive, se diz grato a eles: “Uma experiência nunca é um fracasso, pois sempre vem demonstrar algo”.

Esse ideal defendido por ele, parece ter sido incrustado na cultura profissional americana. Hoje, os filhos do Tio Sam perceberam o quão importante são os fracassos. É comum nos Estados Unidos, o empreendedor colocar em seu currículo as histórias de fracassos. Aquela loja de presentes que não deu certo, a lanchonete de comida mexicana que faliu ou a oficina mecânica que teve as portas fechadas por conta da crise. Tudo é válido, contou como experiência.

No Brasil, quem decreta falência ou mesmo perde o emprego se esconde, sente-se envergonhado. Parece que está cometendo um crime. Às vezes o incomodo é tão grande que a pessoa deixa de sair de casa, frequentar compromissos sociais, o que pode, dependendo do caso, se transformar até mesmo em uma grave depressão.

Na verdade, é claro que ninguém quer falir. Abre-se um negócio para ter sucesso. Mas se ele não vier, valeu a experiência. Como diz o poeta do samba, Jorge Aragão: “Levanta sacode a poeira e dá a volta por cima.”

Geração X, Y e Z

Felizmente, a mentalidade da geração X, Y e Z no Brasil tem vindo ao encontro da filosofia de Thomas Edison.  Os jovens empreendedores não têm mais tanto apego aos negócios que não deram certo. Se falhou, nada de ficar lamentando por muito tempo. No embalo da velocidade que as coisas acontecem hoje, a fila anda. Que tal um novo projeto, um novo emprego ou uma nova startup?

Em se tratando de startup, percebe-se que o pensamento de Thomas Edson fica ainda mais evidente. Dois amigos têm uma ideia, conectam um conhecido programador e pronto, a empresa está formada. O Canvas (plano de negócios) é feito e em pouco mais de quatro meses a Minimum Viable Product (MVP) está rodando e a divulgação sendo feita. Começou a faturar, ganhou força, deu certo, maravilha. Agora é se profissionalizar, contratar mais gente, conseguir investimentos, conquistar o lugar no mercado e ser feliz.

Negócio já rodando, demorou de um a dois anos, não faturou nada, não emplacou no mercado, não caiu nas graças dos usuários, por que continuar tentando? No mundo que estamos é necessário recurso para viver. Dinheiro mesmo, para comprar um picolé ou pagar o aluguel. Por isso, mesmo sendo um sonho, pode ser a hora de encerrar as atividades. Você pelo menos tentou. Valeu a experiência, valeu o aprendizado, mas bola para frente.

Outro dia um jovem de 29 anos se orgulhava em estar em sua quarta startup.  Se estava triste? Nada, pelo contrário. Um incrível brilho nos olhos pelo novo projeto que estava lançando. Como se fosse a primeira empresa, encontrava-se entusiasmado e acreditando que dessa vez o negócio iria prosperar, pois os erros cometidos outrora, dessa vez não aconteceriam.

Ensinamentos

Como disse Thomas Edison em resposta a um repórter que perguntou como ele se sentia por ter falhado 25 mil vezes na tentativa de criar uma simples bateria. Sem pestanejar, respondeu: “Não sei por que você acha que foi um fracasso.Hoje eu conheço 25 mil maneiras de como não fazer uma bateria. E você, o que sabe?”.

Abaixo, alguns dos ensinamentos de Thomas Edison, bem atuais para os dias de hoje

. “Genialidade: 1% de inspiração e 99% de transpiração.”

. “Tudo alcança aquele que trabalha duro enquanto espera.”

. “Se fizéssemos todas as coisas de que somos capazes, nós nos surpreenderíamos a nós mesmos.”

. “Eu aprendi muito mais com os meus erros do que com meus acertos.”

. “Uma experiência nunca é um fracasso, pois sempre vem demonstrar algo.”

. “Se quiser ter uma boa ideia, tenha uma porção de ideias.”

. “A surdez foi de grande valia para mim. Poupou-me o trabalho de ficar ouvindo grande quantidade de conversas inúteis e me ensinou a ouvir a voz interior.”

. “Um gênio é uma pessoa de talento que faz toda a lição de casa.”

 

Compartilhe nas redes sociais
0Shares
Tags: , , ,

Um comentário em “O startapeiro Thomas Edison: o sucesso do fracasso

  • 30 de setembro de 2019 em 16:56
    Permalink

    Muito bom !
    Parabéns pelo artigo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *