Reinvenções para venda de ingressos e gestão de eventos

Startup de Poços de Caldas acredita na entrega de solução simples e prática para organização de eventos

“Inovar não é só fazer algo novo, mas reinventar o que já existe. A Santo Cartão é uma empresa de pequenas inovações em um mercado de empresas já estabelecidas. Nossa inovação é entregar solução simples e prática para algo que era a dor de organizações de eventos”, Daniel Merli, sócio fundador da Santo Cartão, plataforma de venda de ingressos e gestão de eventos.

Estudantes de ciência da Computação da PUC Minas, campus Poços de Caldas, se juntaram para empreender. O resultado é a startup Santo Cartão, que deu vida a uma plataforma de venda de ingressos e soluções de ponta a ponta para gestão de eventos.

“Oferecemos soluções desde a venda de ingressos, promoção, divulgação, checkin de participantes no evento, criação de lista de convidados, entre outras”, explica o fundador Daniel Merli. Ele conta que conheceu Denilson José Amaro Silva, outro fundador, na faculdade. Denilson já promovia eventos e conhecia o mercado, o que ajudou no início das atividades.

A startup, que tem sede em Poços de Caldas, no Sul de Minas, tem dobrado de tamanho a cada ano e o desenvolvimento agora será impulsionado pelo aporte do PUCTEC, Hub de Inovação da PUC Minas. Estamos apresentado, a cada semana, uma das finalistas e você poderá conferir as reportagens aqui no site Minas Faz Ciência. Ao todo, 189 startups se candidataram no edital proposto pela universidade e as quatro finalistas receberam, cada uma, o aporte de R$200 mil. Também foram oferecidas mentorias e  assessorias para as startups participantes.

Santo Cartão.
Turma da Santo Cartão marcando presença no programa PUCTEC. Foto: Divulgação Santo Cartão

Confira as matérias anteriores:

Startup leva terapias holísticas e integrativas para dentro das empresas

Encarando o desafio da inclusão em processos de contratação profissional

PUC Tec: formação do empreendedor, geração de densidade e indução de negócios

A Santo Cartão aproveitou as assessorias de professores da PUC e fechou negócios durante a participação no programa, inclusive com a própria universidade para gerir um evento da instituição. Para o futuro, segundo Daniel Merli, o plano é dobrar receita e entregar novos produtos.

“Somos a única startup de fora de Belo Horizonte que chegou nas fases finais do programa. Não somente pelo esforço que fizemos em nos mudarmos para a capital durante o programa, mas pelo grande apoio de professores e amigos da PUC de Poços”, conclui.

Luana Cruz

Mãe de gêmeos, doutoranda e mestre em Estudos de Linguagens pelo Cefet-MG. Jornalista graduada pela PUC Minas. É professora em cursos de graduação e pós-graduação na Newton Paiva, PUC Minas, UniBH e ESP-MG. Escreve para os sites Minas Faz Ciência e gerencia conteúdo nas redes sociais, além de colaborar com a revista Minas Faz Ciência.

Conteúdo Relacionado