PUC Tec: formação do empreendedor, geração de densidade e indução de negócios

Hub de Inovação da PUC Minas alavancou startups no mercado em 2019


Publicado em 17/02/2020 às 08:00 | Por Luana Cruz

PUC Tec ofereceu estações de trabalho e sala de reuniões para que as startups. Foto: Raphael Calixto/Divulgação PUCMinas

“Inovação de impacto tem origem no conhecimento e o local onde está estabelecido o maior conhecimento é a universidade”. É assim que o professor Humberto Torres Marques Neto, coordenador PUC Tec, o Hub de Inovação da PUC Minas, enxerga a importância do apoio à inovação dentro do ambiente acadêmico. Ele liderou a primeira edição do programa que alavancou startups para ganhar os mercados nacional e internacional.

Ao todo, 189 startups se candidataram no edital proposto pela universidade e quatro finalistas receberam, cada uma, o aporte de R$200 mil. Nas próximas semanas você vai conhecer essas empresas aqui no site Minas Faz Ciência. Vamos contar um pouco da história da SporTI (fomento ao esporte), Santo Cartão (venda de ingressos para eventos), Avulta (contratação profissional inclusiva), Holos (terapias holísticas e integrativas mais acessíveis)

189 startups;

87 selecionadas por bancas examinadoras, com a participação de professores e profissionais do mercado;

40 empresas participaram da primeira fase do PUC Tec , sendo que 20 delas receberam, cada uma, R$20 mil;

Dessas 20, 12 foram selecionadas, recebendo R$80 mil cada;

Por fim, dessas 12, foram selecionadas, quatro finalistas que receberam, cada uma, o aporte de R$200 mil

O Núcleo de Inovação Tecnológica da PUC (NIT) percebeu a necessidade de posicionar a universidade no novo ecossistema de inovação. Sendo assim, em 2016, com a ajuda de uma consultoria criou o modelo de atuação nessa “nova ordem social” que deu origem ao Hub de Inovação.

O PUC Tec é baseado em três pilares: formação do empreendedor, geração de densidade e indução de negócios. O primeiro deles diz respeito à atuação da PUCMinas no ambiente da educação. “Identificamos que é importante para o ecossistema de startups haver pessoas bem formadas capazes de desenvolver inovação de impacto para a sociedade”, explica o professor.

O segundo pilar está relacionado ao fato de a PUC reunir 60 mil alunos, sendo 40 mil em cursos presenciais. “O principal ativo da universidade são as pessoas – alunos, professores, funcionários. A gente acredita nesse potencial de criar cultura de inovação por meio da troca de experiência”.

Por fim, a indução de negócios que é o fomento a startups com potencial de inovação ajudando a se desenvolver no mercado. “Lançamos um edital universal inspirado na FAPEMIG e CNPQ para chamar as startups de qualquer área e que estivessem interessadas em passar por processo de aceleração”, detalha Humberto Torres.

O Hub de Inovação da PUC conta com espaço no Wework, localizado no Shopping Boulevard, na região Leste de Belo Horizonte. São 40 estações de trabalho e sala de reuniões para que as startups selecionadas tenham contato com outras empresas para comercialização do projeto e promoção de vendas.

Modelo de indução PUC Tec

As 40 startups integrantes programa tiveram a oportunidade de participar de quatro fases de indução. Primeiramente, receberam crédito em formação na PUC, sendo que todos os fundadores dessas empresas têm direito a descontos para estudar em cursos da instituição de ensino.

“É possível criar empreendimentos e startups com sustentação diferenciada baseada em conhecimento e talentos bem formados. Não existe startup sem um founder bem formado”, afirma o coordenador do PUC Tec.

Em um segundo momento, as startups tiveram que aceitar um bolsista de inovação tecnológica, pago pela PUC, para trabalhar no ambiente da empresa. “A universidade quer desenvolver cultura de inovação levando os alunos às startups. A ideia é que este estudante seja contaminado pelo vírus da inovação e espalhe em sua sala de aula”.

Também foi oferecido um crédito em assessoria técnica, caso as empresas precisassem de consultorias em áreas especializadas do conhecimento ou usar laboratórios da PUC para testes e experimentos. “A gente escolhia um professor a startup recebia um conteúdo diferenciado. Em contrapartida, o professor trouxe experiências para sala de aula”, explica, Humberto Torres.

A última etapa da indução foi o aporte de capital. “Colocamos dinheiro para desenvolvimento de produtos e serviços”. Ao longo de 2019, investimento total da PUC no programa de inovação foi de R$ 3 milhões.

Atualmente, a universidade tem direito a participação societária das startups que integraram a indução. Este ano, a PUC lançará novo edital universal.

Tags

Artigos Relacionados