Em 2015, os 193 países das Organização das Nações Unidas entraram em acordo sobre um plano de ação para o desenvolvimento sustentável. São 17 objetivos e 169 metas que deverão orientar as políticas nacionais e as atividades de cooperação internacional até 2030. É uma agenda que continua os Objetivos do Milênio, pactuados em 2000 e que estavam em vigor até 2015.

As temáticas envolvem: erradicação da pobreza, segurança alimentar e agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, redução das desigualdades, energia, água e saneamento, padrões sustentáveis de produção e de consumo, mudança do clima, cidades sustentáveis, proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres, crescimento econômico inclusivo, infraestrutura e industrialização, governança, e meios de implementação.

Confira os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Ondas da Ciência:

Agenda para o desenvolvimento sustentável

O desenvolvimento sustentável pode ser entendido como o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer a capacidade de atender futuras gerações. Ele não esgota os recursos para o futuro. “O desenvolvimento sustentável tem como base três pilares: o desenvolvimento econômico, o desenvolvimento social e o desenvolvimento ambiental. Ele não visa um crescimento econômico que é excludente , um crescimento que destrói o ambiente de forma a não pensar no futuro”, explica Priscila Neves Silva, pesquisadora da Fiocruz Minas.

Priscila debate os 17 ODS na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2018. Para a pesquisadora, os objetivos estabelecidos pela ONU são codependentes e essenciais para todos os países. “As metas foram concebidas de forma participativa e devem ser trabalhadas em conjunto pela sociedade civil, governos e iniciativa privada. Agora é importante que todos esses atores atuem juntos para que os objetivos possam ser alcançados até 2030”, afirma.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Fonte: ONU

Pesquisa e os ODS

“A partir do momento em que o país assinou esse pacto, ele se inseriu nesse grupo que quer que os objetivos sejam atingidos. Então se pesquisas demonstrem, por exemplo, que para a saúde é importante que se desenvolva uma tecnologia, o país tem esse dever, para que as metas sejam cumpridas”, diz Priscila Neves Silva. Assim, os ODS se relacionam com a pequisa e na inovação. Para a pesquisadora, é importante que diferentes setores e empresas trabalhem em parceria para atingir a agenda global.

Na Fiocruz, são desenvolvidas pesquisas que trabalham com os ODS. Atualmente, um estudo se dedica especialmente ao objetivo 6: assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos. A pesquisa analisa o acesso a água e o esgotamento sanitário da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). “É um trabalho que avalia se a RMBH consegue atingir essas metas de forma universal, para toda a população, sem discriminação. Nós estudamos indicadores e bases de dados para investigar o alcance desse objetivo na região”, explica Priscila.