Água, energia e alimentos: a sustentabilidade na Cantareira

No ano de 2014, alguns Estados da região sudeste do Brasil sofreram com a falta de água. Devido à estiagem, o Sistema Cantareira foi severamente impactado, o que impactou nos níveis de água nos reservatórios da região.

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (UFLA), e parceria com Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ) mostrou que não foi só a estiagem que ocasionou a crise hídrica. A falta de água também esteve relacionada ao ambiente local que afetam a disponibilidade hídrica, como, por exemplo, o uso e a ocupação do solo.

A pesquisa, financiada pelo Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) busca compreender como esses água, energia e alimentos se relacionam e impactam na sociedade. A pesquisa terá duração de três anos e tentará conhecer como o uso do solo impacta a entrada e armazenamento de água naquele local.

O estudo prevê a análise de documentos e entrevistas com gestores públicos. Durante o desenvolvimento da pesquisa, os cientistas pretendem utilizar um enfoque pioneiro e inovador chamado Nexus.  Trata-se de uma abordagem que considera água, alimentos e energia a partir de suas inter-relações, analisando as trocas positivas e negativas.

A abordagem inclui, ainda, produtores de bioenergia e de alimento, mostrando como tais elementos são importantes para a gestão de recursos hídricos. A ideia é, portanto, que os pesquisadores consigam aprofundar a compreensão de aspectos relacionados à sustentabilidade na área de mananciais do Sistema Cantareira, em Minas Gerais e São Paulo.

Compartilhe nas redes sociais
0Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *