A palma forrageira é um tipo de cacto comestível, de origem mexicana, muito comum no Nordeste do país. Desde 2009, a EPAMIG desenvolve estudos e incentiva o cultivo da palma para contribuir com a criação de rebanhos em MG.

No fim de setembro, foi lançada a Rede Palma, composta por diversas instituições de pesquisa, extensão, fomento e agroindústria. Em conjunto, cooperam para a seleção, multiplicação e distribuição de palma forrageira no Estado. A palma já tem se mostrado uma alternativa viável para produtores de leite no semiárido mineiro.

Na primeira etapa do projeto, foram selecionados 10 municípios do Norte e Vale do Jequitinhonha para receberem mudas de palmas provenientes da EPAMIG.

Participam os municípios de Olhos d’água, Botumirim, Francisco Sá, Jequitinhonha, Matias Cardoso, Montezuma, Janaúba, Gameleiras, Monte Azul, Santo Antônio do Retiro.

Em oito anos, em parceria com a Emater-MG, a EPAMIG já distribuiu cerca de 400 mil mudas desta planta, que é fonte de água e energia para o rebanho.

Segundo a chefe da EPAMIG Norte de Minas, Polyanna de Oliveira, a Rede trabalha para ampliação dos resultados de pesquisa.

“A proposta é indicar as melhores variedades de palma forrageira para o Norte de Minas e Bacia do Jequitinhonha, além de construir um sistema de produção compatível com a realidade do nosso estado”, ressalta.

 

Palmas para Minas

“Hoje consigo manter uma produção de leite de 220 litros por dia”, comemora.

A palma se adapta a longos períodos de estiagem e exige poucos recursos hídricos para o plantio. Por isso, é uma alternativa para alimentar e hidratar as vacas.

Na Fazenda Santa Marta, em Janaúba, a palma é a alimentação das vacas criadas pelo produtor rural Uelton Moreira. Ele é um dos produtores que receberam mudas para multiplicação.

Antes de iniciar a cultura da palma, Uelton perdeu mais de 20 vacas, que morreram em função da seca.

Produtor rural Uelton Moreira, Norte de Minas. Foto: Leonardo Leles

Para o produtor Uelton Moreira, a palma é a única fonte de alimentação disponível para seu gado leiteiro | Foto Leonardo Leles

De acordo com a pesquisadora da EPAMIG Leidy Rufino, a palma é uma alternativa para complementar a alimentação do gado. No entanto, é necessário gerar e divulgar mais informações sobre cultivares, técnicas de cultivo e formas de uso.

“Isso pode resultar no sucesso da atividade, na segurança ambiental, produtiva, alimentar e econômica de milhares de famílias”, explica.

Informação sobre o consumo para humanos e rebanhos em MG

No lançamento da Rede Palma também foi disponibilizado um Informe Agropecuário sobre “Cultivo e utilização da palma forrageira”.

São dez artigos sobre tecnologias de cultivo com alto rendimento e qualidade da forragem.

O livro também aborda o uso da palma para a alimentação de humanos.

A revista pode ser adquirida pelo site www.informeagropecuario.com.br ou por meio da divisão de Promoção e Distribuição da Informação Tecnológica – (31) 3489-5002 ou publicacao@epamig.br.

Revista Informe Agropecuário aborda aspectos de cultivo e uso da palma na alimentação humana e animal

Revista Informe Agropecuário aborda aspectos de cultivo e uso da palma na alimentação humana e animal

Com informações da Assessoria de Imprensa da EPAMIG.