Pesquisadores transformam máscaras de mergulho em máscaras para respiradores mecânicos

Projeto foi desenvolvido por estudantes da Torque Jr, empresa júnior de Engenharia da UFLA

Com o intuito de contribuir nas ações de combate ao novo coronavírus, grupo de estudantes da Universidade Federal de Lavras (UFLA) desenvolveu um adaptador que transforma máscaras de mergulho em máscaras para respiradores mecânicos.

Segundo o professor Jefferson Tsuchida, do Departamento de Física, que auxiliou no desenvolvimento do projeto, o adaptador é uma peça feita por meio da impressão 3D que conecta a máscara de mergulho ao respirador.

“São máscaras de mergulho comerciais, que possuem um snorkel no topo. Substituímos os snorkel pelo adaptador. Com essa peça, foi possível conectar a máscara às mangueiras de entrada e saída de ar que vão para o respirador“, detalha Tsuchida.

A ideia original foi desenvolvida por um médico italiano. Na UFLA, o projeto foi adaptado e desenvolvido por estudantes da Torque Jr, empresa júnior de Engenharia Mecânica da universidade, com auxílio de Tsuchida,  e dos professores Hélio Haddad, do Departamento de Ciências da Saúde, e Sandro Pereira do Departamento de Engenharia.

“Os alunos queriam de alguma forma ajudar os profissionais de saúde na atuação frente à pandemia do coronavírus. Eles estudaram e viram o que poderiam ser feito. Depois me procuraram para desenvolvermos o projeto.  Eles fizeram toda parte de medição, modelagem e confecção do adaptador“, comenta Jefferson Tsuchida.

Máscaras serão doadas a hospitais

O grande diferencial do projeto está no uso do adaptador com a máscara de mergulho. Durante a pesquisa, Tsuchida e os alunos verificaram que há uma alta taxa de contágio da doença entre os profissionais de saúde que atual na linha de frente.

Isso porque, as máscaras normalmente usadas nos respiradores não barram completamente a passagem do vírus. Tsuchida explica ainda que tais máscaras são caras e são vendidas em cinco tamanhos diferentes, o que impacta ainda mais no orçamento dos serviços de saúde.

As máscaras de mergulhos têm uma vedação muito superior em comparação com as máscaras normais. Essa comprovação foi feita dentro da Santa Casa e testada por profissionais que têm muita experiência nessa área de ventilação mecânica.  Elas também são mais baratas e confeccionadas em apenas dois tamanhos”, comenta.

Os estudantes da UFLA pretendem construir 20 kits de máscaras e adaptadores que serão doados a hospitais da cidade. A produção será financiada por uma parceria entre a prefeitura de Lavras e universidade.

Neste contexto, Tsuchida destaca a importância do apoio da UFLA que, durante todo o projeto, deu apoio e liberdade aos cientistas para o desenvolvimento da iniciativa.

Conteúdo Relacionado