UFLA desenvolve empanados de pequi, mais saudáveis e saborosos

Você pode não ter ouvido falar de empanados de pequi, mas certamente conhece os de frango, popularmente chamados de nuggets.

[quote align=’right’]Abrir a caixinha de empanados congelados e fritá-los ou cozinhá-los no forno é uma atitude recorrente na rotina de quem acredita ter pouco tempo para se dedicar ao preparo de uma alimentação saudável.[/quote]

Embora práticos, esses alimentos costumam conter muitos conservantes e acabam tendo baixo teor de nutrientes.

Mas e se a gente pudesse enriquecê-los com um fruto típico do cerrado brasileiro?

Essa foi a ideia de pesquisadores do Departamento de Ciência de Alimentos (DCA) da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Eles pegaram o pequi, um dos frutos mais característicos do cerrado, reconhecido pelo sabor e cheiro marcantes, e propuseram uma nova receita de empanados com a fruta.

Um dos objetivos dessa experiência é expandir o consumo do pequi no país e no mundo.

Para isso, os pesquisadores desenvolveram empanados mais nutritivos e ricos em fibras em relação aos convencionais, ao incluir pequi na receita.

Receita mais nutritiva fez sucesso nos testes em Goiás e Minas

Os pesquisadores testaram dois tipos de empanados: o tradicional de frango e uma versão vegetariana, ambos acrescidos de pequi.

Os testes ocorreram com produtos que levavam na receita concentração de polpa de pequi entre 2,5% e 10%.

Os empanados tradicionais de frango enriquecidos com pequi foram provados por mais de cem pessoas em supermercados de Goiânia (GO). A região é, tradicionalmente, consumidora do fruto nativo do cerrado.

Amostras do produto com 2,5% a 10% de adição de polpa de pequi foram muito bem aceitas entre eles. Na avaliação dos provadores, o empanado de frango com pequi tem sabor, textura, cor e aroma agradáveis.

Já no sul de Minas Gerais, região onde a população consome pouco pequi, os testes foram feitos com um grupo focal de 14 estudantes e profissionais da UFLA.

Nesse caso, a versão com 5% de adição de polpa de pequi e frita no óleo foi a predileta:

“Como em Lavras a população não está acostumada com o sabor do pequi, os avaliadores aprovaram mais o empanado de frango acrescido com até 5% de pequi, do que a versão vegetariana. Em Goiânia, não houve diferença”, explica o professor do DCA, Eduardo Valério Vilas Boas.

Na avaliação sensorial geral, ambos os produtos tiveram nota 8 em uma escala de 1 a 9.

“O resultado satisfatório apontou ainda um produto com leve sabor e aroma de pequi”, conta.

 

Nutrição

O pequi é um alimento rico em nutrientes, como as vitaminas A (até mais do que a cenoura), C e E, fibras, antioxidantes e gorduras saudáveis.

O fruto, de acordo com Eduardo Valério Vilas Boas, é bom para a pele, imunidade, visão e diminui o nível de colesterol ruim.

“O empanado tradicional não contém fibras. Introduzir pequi foi uma solução para essa carência, além de enriquecê-lo com vitaminas, minerais e antioxidantes”, explica.

Embora o pequi possua benefícios para a saúde, o professor da DCA recorda que ele é um fruto calórico.

“O alto teor de fibras do pequi reduz o nível de açúcar do empanado, o que diminui as respostas insulínicas do indivíduo, importante para a população geral, em especial para diabéticos”, informa.

Novo mercado

Nativo do cerrado brasileiro, o pequi ainda é considerado um fruto exótico e pouco conhecido de muitos brasileiros.

Embora a engenharia de alimentos venha ampliando as aplicações do fruto na culinária, o professor da DCA informa que a aceitação dos produtos à base do pequi ainda é baixa no mercado.

“Por isso, um dos objetivos da pesquisa é estender o fruto na culinária brasileira. No sul de Minas existem pequizeiros, mas a maioria das pessoas não sabe que ele fornece um fruto comestível nutritivo, funcional e extremamente saudável”, ressalta.

Alimentação saudável

Para quem se interessa por uma alimentação mais saudável, vale a pena conhecer o Guia Alimentar para a População Brasileira, desenvolvido pelo Ministério da Saúde, com apoio da Faculdade de Saúde Pública da USP.

O documento aborda os princípios e as recomendações de uma alimentação adequada e saudável.

O Guia é um instrumento de apoio às ações de educação alimentar e nutricional e norteador das ações no Sistema Único de Saúde e também em outros setores.

A publicação apresenta um conjunto de informações, análises, recomendações e orientações sobre escolha, combinação, preparo e consumo de alimentos que objetivam promover a saúde de pessoas, famílias e comunidades e da sociedade brasileira como um todo.

O Guia reforça que uma alimentação adequada e saudável precisa ser balanceada, deve priorizar os alimentos in natura e minimamente processados.

Outra dica do Guia é priorizar preparações culinárias com alimentos naturais e limitar o consumo de ultraprocessados.

O Guia é para todas as pessoas, individualmente e como membros de famílias e comunidades, assim como cidadãos. Clique aqui para ter acesso à versão digital.

Com informações da Assessoria de Imprensa da UFLA.
Compartilhe nas redes sociais
0Shares