De que modo a poesia seria capaz de responder aos grandes conflitos humanos, a exemplo da Segunda Guerra Mundial?

Neste minucioso trabalho de pesquisa, Murilo Marcondes de Moura, professor de Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo (USP), busca flagrar a resposta de poetas do País “ao acontecimento mais traumático do século XX”.

Fruto de anos e anos de investigações, esta obra rara na crítica literária brasileira problematiza a relação entre linguagem e guerra, com ênfase nas obras de Carlos Drummond de Andrade, Oswald de Andrade, Cecília Meirelles e Murilo Mendes.

Apesar da ênfase em escritores nacionais, o livro elabora amplo e criterioso panorama das relações entre guerra moderna e poesia de vanguarda, por meio da análise da obra de escritores estrangeiros que estivem no front da Primeira Guerra Mundial, como Guillaume Apollinaire, Wilfred Owen e Giuseppe Ungaretti.

Importante ressaltar, por fim, a erudição do autor, que, para revelar nuances da resistência estética aos conflitos armados, não se restringe à literatura. No livro, há exemplos ligados a diversas outras manifestações artísticas, da música erudita às artes plásticas.

Leia um trecho:

“No caso brasileiro, uma tremenda dificuldade adicional se impõe de saída: os poetas estavam distantes dos acontecimentos, situados em um lugar periférico ao conflito, em princípio relegados ao papel de meros observadores do drama planetário. Para adaptar um verso sugestivo de Murilo Mendes, todos ‘eram ouvintes apenas da guerra’, que acompanhavam atentamente pelo rádio pelos jornais. Ora, o ‘grau de implicação’ desses poetas naquela circunstância histórica parecia o mais esmaecido possível, o que acarretaria, ao menos teoricamente, uma obra também menos vívida em relação a ela. Tratava-se de aproximar o que estava longe, de trazer para o plano da intimidade aquilo que estava afastado do campo da experiência imediata, o que nem sempre é fácil”.

Ficha técnica:

Livro: O mundo sitiado – A poesia brasileira e a Segunda Guerra Mundial
Autor: Murilo Marcondes de Moura
Editora: Editora 34
Páginas: 376
Ano: 2016