No Brasil, a produção energética é historicamente dependente de duas principais matrizes: a hidrelétrica e a termoelétrica. A necessidade de diversificação da produção de eletricidade tem impulsionado projetos e a expansão da energia eólica e solar fotovoltaica.

O vento é uma fonte de energia limpa e inesgotável, alternativa à queima de combustíveis fosseis. E a energia eólica representa hoje o maior potencial energético nacional, segundo o professor Leonardo Willer de Oliveira, do Departamento de Energia Elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Distribuição da energia eólica

Leonardo Willer conduziu pesquisa sobre a geração eólica nos sistemas de distribuição. No projeto, foi desenvolvido um modelo de otimização para a rede de distribuição. Os resultados apontam para a viabilidade de distribuição de energia eólica no estado. Se definida de forma estratégica, como proposto, a transmissão traz uma série de vantagens em relação a custos operacionais e ambientais.

A pesquisa foi divulgada em congressos internacionais (Eindhoven PowerTech e Planejamento de Geração Distribuída Através de Sistemas Imunológicos Artificiais) e publicada no periódico IEE Latin America.

Confira mais informações no Ondas da Ciência!