Uma reportagem publicada no site Direto da Ciência informa que animais polinizadores prestam serviço que equivale a R$ 43 bilhões por ano à agricultura.

Este valor foi indicado após a conclusão de um estudo realizado por 12 especialistas brasileiros. Eles avaliaram mais de 400 publicações científicas sobre polinização e produção de alimentos.

Para chegar a este valor, os pesquisadores se basearam em 67 plantas e consideram a dependência que o cultivo tem em relação aos polinizadores para a produção do fruto/semente e multiplicaram pela produção primária anual deste cultivo.

Clique aqui para acessar o relatório “Polinização, Polinizadores e Produção de Alimentos“, da Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES) e da Rede Brasileira de Interações Planta-Polinizador (REBIPP).

Imagem meramente ilustrativa via Pixabay

Quem são os animais polinizadores?

O Brasil abriga uma grande riqueza de animais que fazem esse serviço de polinização.

O relatório citado acima lista mais de 600 animais, dos quais cerca de 250 têm potencial de polinizador.

As abelhas predominam como polinizadores consagrados, encabeçando a lista com 66% das espécies.

Besouros, borboletas, mariposas, aves, vespas, moscas, morcegos e percevejos também estão lá.

O grupo mais importante para a agricultura, segundo o relatório, é mesmo o das abelhas. Elas prestam serviços de polinização em mais de 90% das culturas já estudadas no mundo.

Imagem meramente ilustrativa via Pixabay

O que é preciso para ser um polinizador efetivo?

Nem todos os animais que “visitam” flores são polinizadores.

Os visitantes florais são animais que buscam, nas flores, recursos para si ou para sua prole.

Às vezes, uma mesma planta pode receber uma variedade grande de visitantes, como é o caso de espécies cujas flores oferecem muito néctar.

Porém, nem todo visitante floral realiza a polinização.

Para ser um polinizador efetivo é necessário cumprir alguns requisitos, como:

  • contato com a antera e o estigma (veja ilustração abaixo);
  • frequência de visita suficiente;
  • fidelidade floral (voltar sempre ao mesmo tipo de flor);
  • realização de uma rota adequada de visitação.
Estrutura das flores. Reprodução / UFAC
Com informações daqui, daqui e daqui.

Sobre o(a) autor(a)

Verônica Soares

Verônica Soares

Jornalista e curiosa! Gosto de ler e estudar sobre comunicação, história e ciências.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    OK No thanks