Por que flores emitem perfume?

Cores e cheiros de flores fazem parte de uma estratégia de sobrevivência que se desenvolveu (e continua se desenvolvendo) em função da evolução!

Flores perfumadas não existem por acaso! Elas emitem cheiros para atrair agentes polinizadores, como abelhas, mariposas, passarinhos e borboletas, dentre outros insetos.

Mas também existem plantas que emitem cheiro quando são tocadas.

Já passou a mão em uma folhinha de hortelã ou de manjericão na horta, por exemplo?

Segundo o site Ciência no Jardim, esse cheiro é de substâncias repelentes, que geralmente são encontradas nas folhas.

Ao contrário das flores, que emitem cheiros para atrair polinizadores, essas plantas precisam evitar que suas folhas sejam comidas, pois são elas que fazem fotossíntese.

“Encostou ou deu uma mordida a folha libera uma substância repelente. Exemplos são as folhas de manjericão, hortelã, laranja e limão”

Ciência no Jardim.

Flor-cadáver. Foto ilustrativa via Wikimedia / US Botanic Garden

A maior e mais fedorenta flor do mundo

Nem todos os cheiros que as flores soltam são bons, sabia?

Há espécies que soltam cheiros muito ruins, como de carne podre, por exemplo, para atrair moscas, que também trabalham como agentes polinizadores.

Em Minas Gerais, uma das maiores e mais fedorentas flores do mundo já floresceu na estufa do Inhotim.

A flor-cadáver, ou Amorphophallus titanum, leva este nome em função do mau cheiro que exala quando dá flor.

O odor de carne podre e as cores fortes servem para atrair seu principal polinizador, a mosca varejeira.

Flores podem mudar o horário de cheirar?

Gymnadenia conopsea. Foto ilustrativa via Wikimedia.

De acordo com uma pesquisa publicada no importante periódico Annals of Botany, sim!

Os pesquisadores confirmaram que uma orquídea pode adequar seu ritmo de emissão de aromas (de dia ou de noite) de acordo com a presença dos polinizadores locais.

No estudo, eles investigaram se as populações das mesmas espécies de orquídeas que são mais polinizadas, seja de dia ou de noite, mostram diferentes ritmos de emissão de aroma.

Descobriram que o aroma floral da orquídea Gymnadenia conopsea (foto ao lado) difere entre o dia e a noite, e o aumento do odor do dia para a noite é mais forte em populações com polinização noturna.

Este foi o primeiro estudo a relatar a variação genética em ritmos de emissão de aroma floral dentro da mesma espécie, um primeiro passo importante para entender a evolução do perfume das flores!

Via.

Sobre o(a) autor(a)

Verônica Soares

Verônica Soares

Jornalista e curiosa! Gosto de ler e estudar sobre comunicação, história e ciências.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    OK No thanks