Atenção à saúde da mulher: conheça o “ApiceON”

O termo “violência obstétrica” é algo que assusta. Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo, pelo menos 25% das mulheres que tiveram filhos na rede pública e privada sofreu algum tipo de violência obstétrica. Atualmente, o modelo de atenção ao parto e nascimento no Brasil é intensamente medicalizado e envolve intervenções desnecessárias, invasivas e sem embasamento científico. Esse e outros elementos é o que configura a violência obstétrica.

Diante deste cenário,  torna-se necessária a elaboração de políticas de humanização que buscam conceber o parto como um evento natural e fisiológico, oferecendo autonomia à mulher. Uma prova de que isso é uma solução é o fato de que 21 países que conseguiram reduzir os índices de mortalidade materna adotam como uma das medidas de humanização do parto, a inserção de profissional enfermeiro obstetra ou obstetriz no momento do nascimento do bebê. No Brasil, este caminho ainda está sendo trilhado, mas existem boas iniciativas que apontam para esta direção.

Um deles é o Projeto de Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (ApiceON) é desenvolvido pelo Ministério da Saúde e executado pela Universidade Federal de Minas Gerais. Contando com 97 hospitais universitários e/ou de ensino aderidos, o Projeto atua nas frentes de gestão, ensino e cuidado, para promover mudanças no modelo de atenção ao parto e nascimento no Brasil.

O ApiceON conta com uma equipe de supervisoras e mediadoras que, em contato direto com os hospitais e maternidades, promovem discussões sobre as potencialidades e caminhos para provocar mudanças positivas na rotina do e no cuidado prestado às mulheres. O projeto potencializa ainda sua presença nas instituições, levando novas vivências e experiências para a constituição de uma rede capaz de se articular e promover parcerias em prol da melhoria constante do atendimento e do ensino oferecidos.

Projeto ApiceON visa saúde da mulher (Paula Roberta/Divulgação)

Aprimoramento pela imersão

Uma das ações promovidas pelo ApiceON é o Curso de Aprimoramento para Enfermeiros Obstetras, realizado em Belo Horizonte por meio de parceria entre a Escola de Enfermagem da UFMG e o Hospital Sofia Feldman. O curso reúne metodologias e referenciais teóricos próprios e acontece desde setembro do ano passado.

Durante sua realização, enfermeiros especialistas de hospitais vinculados ao Projeto ApiceON passam 15 dias em uma imersão no Hospital Sofia Feldman com o objetivo de vivenciar os processos de gestão do hospital que possibilitaram o arranjo atual, com a plena inserção da enfermagem obstétrica no cuidado e atenção à mulher. Além de atuarem em equipes multiprofissionais na intenção de garantir atenção integral às gestantes e puerperais.

Como parte do ApiceON, o curso busca formar profissionais de hospitais universitários e/ou de ensino no Brasil capazes de intervir nos processos de gestão e nas equipes relacionadas à atenção obstétrica e neonatal. A intenção do curso é provocar mudanças nas rotinas hospitalares, além de fortalecer a atuação do Sistema Único de Saúde, proporcionando às mulheres brasileiras um atendimento cada vez mais qualificado e baseado nas melhores evidências científicas disponíveis.

Compartilhe nas redes sociais
0Shares