Estudo do Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da UFMG propõe o uso de tecnologia para identificar a qualidade de frutas e hortaliças. Pesquisadores desenvolveram um modelo computacional para caracterização e avaliação de alimentos agrícolas, por meio da análise de imagens. O professor do ICA Rodolpho Tinini, explica mais, no Ondas da Ciência:

Modelo e qualidade de alimentos

Os pesquisadores já construíram, a partir de estudos de mestrado e doutorado, testes espectrais com o tomate e em rgb com uva. Foram feitas muitas parcerias, entre universidades e diferentes áreas de pesquisa, para construir um produto pronto.

A expectativa dos pesquisadores é conseguir dar entrada em uma startup e levar o modelo para o mercado. O modelo deverá funcionar da seguinte forma: o cliente baixa o aplicativo, tira uma foto do produto, que é direcionada para o banco de dados do projeto, em nuvem. A inteligência artificial roda os dados e retorna informações como tempo de vida útil e qualidade. Segundo Rodolpho Tinini, é um método que entregaria ao cliente o controle do que compra. Ao supermercadista, garantiria o conhecimento do tempo de prateleira dos produtos, para organizar a aquisição e a venda.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista internacional Journal of Agricultural Science and Technology. Além de Rodolpho, também são autores do trabalho Júlia Lopes Governici e Rodrigo Magalhães Faria, da Universidade Federal de Viçosa, e Barbara Janet Teruel Mederos, da Unicamp.