O famoso conceito de Hélice Tríplice é designativo das instâncias prioritárias da inovação: universidade, empresa e governo. Mas os professores Marcos Pinotti Barbosa e Nizete Lacerda Araújo trabalham, neste importante livro, com outra valiosa metáfora: o trevo de quatro folhas.

Eles acrescentam, à clássica tríade de princípios estruturais de projetos inovadores, as figuras dos investidores, profissionais, fundamentais à gestão do conhecimento.

Nos seis capítulos da obra, os autores analisam questões fundamentais aos propósitos do Homo Innovatus, o profissional interessado em tornar reais as ideias mais inovadoras.

O livro promove discussões acerca de financiamento, discute maneiras para agregar valor a processos, produtos e serviços e problematiza uma série de mecanismos de geração, apropriação e divulgação do saber.

Leia um trecho:

“Como será visto neste livro, do ponto de vista contábil, a inovação é deficitária, e à sociedade cabe financiá-la. Do ponto de vista do intangível e da única maneira de se promover desenvolvimento econômico nesta sociedade do conhecimento, a inovação é o investimento mais seguro e com resultados mais promissores que há. A grande questão, de que devemos sempre nos lembrar, é que não há progresso sem inovação e, portanto, neste campo não haverá resultado sem investimento”

Ficha técnica:

Livro: Homo Innovatus – Manual de inovação

Autores: Marcos Pinotti Barbosa e Nizete Lacerda Araújo

Editora: Juruá

Páginas: 154

Ano: 2013