Desafio busca acelerar inovações na área de biologia e biotecnologia

Startups e cientistas podem se inscrever até o dia 2 de novembro para o programa Bio-B, iniciativa do Banco Americano de Desenvolvimento, nas áreas de biologia e biotecnologia

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), juntamente com o Connect Bogotá e a plataforma de inovação aberta 100 Open Startups se uniram para lançar o programa Bio-B, com foco na aceleração de bionegócios, que conectará startups e cientistas a empresas na Colômbia.

O programa tem como objetivo a aceleração de bionegócios, ou seja, de soluções com base biológica ou biotecnológica que atendam os desafios de inovação de grandes empresas. Para as startups selecionadas, será oferecido um portfólio de serviços para validação da solução no valor de US$ 20 mil para cada desafio, totalizando US$ 300 mil.

No total, foram lançados 15 desafios de grandes empresas internacionais, com inscrições abertas até o dia 2 de novembro para pesquisadores e empresários com soluções de base biológica ou biotecnológica de todo o mundo. Após a seleção dos projetos, acontece a etapa de validação da tecnologia escolhida, na qual os US$ 20 mil serão empregados para provas de conceito, prototipagem, validação técnica, testes laboratoriais, propriedade intelectual e cadastros regulatórios e normativos. Por fim, acontece a formalização das negociações entre a empresa e a startup ou grupo de pesquisa.

Segundo Bruno Rondani, CEO da 100 Open Startups, por meio do Bio-B 13 grandes empresas colombianas irão buscar soluções em open innovation em bioteniologia, visando alcançar o mercado. “Uma grande oportunidade para que startups e cientistas brasileiros tenham acesso a recursos e oportunidades de inovação com essas companhias”, observa ele, reforçando que a parceria tanto com o BID quanto com a Connect Bogotá possibilitaram a organização dessa demanda tecnológica e científica junto a essas empresas.

Inovação aberta para biologia e biotecnologia

O Bio-B é o primeiro programa de inovação aberta com recursos disponíveis para a realização de testes, validações e/ou escalonamento de soluções e tem como objetivo impulsionar a economia, por meio de um modelo de transferência de tecnologia. É motivado pelas necessidades das empresas e do mercado, sob o formato de inovação aberta, para transformar o conhecimento das ciências da vida em novos produtos ou serviços que respondam às atuais premissas de negócios e aos objetivos de desenvolvimento mundial: ser sustentável, ecoeficiente e competitivo.

A chamada estará aberta até 2 de novembro de 2020 e é dirigida a grupos de pesquisa, centros de pesquisa e startups interessadas em propor soluções que gerem inovações em processos, novos produtos ou serviços, gerando, assim, maior competitividade empresarial na Colômbia. Para mais informações, acesse www.biob.la.

Empresas, desafios e soluções

Os desafios selecionados estão relacionados com a valorização da biomassa e química verde, uso sustentável da biodiversidade e bioinformática, os quais foram propostos por grandes empresas baseadas na Colômbia, como Agromil, Almacafé – Federação Nacional de Cafeicultores da Colômbia, Dreembio, Esenttia, Nalsani – Totto, Hospital Universitario San Ignacio, Levapan, Nestlé, SCP Alimentation Animal Ecológica, Textiles Lafayette, Vhera Lucci e duas outras empresas do setor alimentício e bebidas.

Abaixo alguns dos 15 desafios:

DESAFIO: Como podemos gerar Bioplásticos a partir de Biomassa Residual?

DESAFIO: Como transformar, mediante a aplicação de biotecnologias e / ou processos biobaseados, os resíduos têxteis gerados pelo uso de contentores (bornais, mochilas, malas) fabricados em tecido de lona, para obter matérias-primas ou insumos utilizáveis em novas linhas de negócio ou em novas indústrias sem que o meio ambiente seja afetado?

DESAFIO: Como desenvolver laticínios para consumo em massa, que ofereçam benefícios para a nutrição e a saúde, que não requeiram de refrigeração em toda a cadeia de distribuição, fabricados com diferentes tipos de leite UHT (Ultra High Temperature?

DESAFIO: Como substituir ou reduzir o uso do melaço, derivado da cana-de-açúcar, como fonte de alimento para a levedura Saccharomyces cerevisiae?

DESAFIO:  Como estruturar um Biobanco, com base em uma plataforma de bioinformática que permita vincular, visualizar, armazenar e entregar aos usuários para fins de pesquisa e inovação clínica, os dados sociodemográficos, clínicos, biológicos e amostras biológicas de doadores, sob altos padrões de qualidade e segurança?

DESAFIO: Como integrar microrganismos bioestimuladores a fertilizantes minerais granulares para aumentar sua eficácia e potencializar a nutrição das plantas?

DESAFIO:  Como desenvolver uma solução para a alimentação humana a partir do subproduto do farelo de trigo?

Conteúdo Relacionado