Evento de ciência e tecnologia promove atividades abertas ao público

Na próxima quinta, 15 de agosto, a capital mineira recebe a oitava edição de um dos eventos nacionais mais importantes de estudos sociais em ciência e tecnologia, o Esocite.

O evento é promovido pela Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias e integra as comemorações do 110° aniversário do CEFET-MG, onde será realizado.

A data é também feriado municipal em Belo Horizonte, o que justifica ainda mais o convite para participação na programação aberta do evento para o público não-acadêmico.

Chamada de ESOCITE.BR Transversal, essa programação adicional tem como objetivo realizar a extensão popular, ao aproximar a academia das comunidades periféricas, dos movimentos sociais, grupos e sujeitos vinculados à cultura e às resistências.

Os eventos científico-tecnológicos tradicionalmente tendem a excluir sujeitos que estão fora dos círculos acadêmicos, o que aprofunda o fosso entre a academia e a sociedade. No entender dos organizadores, é importante que amplos setores, muitas vezes distanciados, apropriem-se de lugares como o ESOCITE.BR e percebam que a produção de conhecimento tem impacto e função social.

Onde está a sociedade nos estudos sociais das ciências e das tecnologias?

A pergunta acima é um desafio colocado pelos organizadores do evento, que os levou a abrir a programação e democratizar as discussões por meio da circulação livre, integralmente gratuita e popular, nas atividades.

Clique aqui para acessar o mapa e a programação completa.

Como Participar?

  • Nos Aglomerados: inscrições no local (ver programação com horários e locais aqui).
  • Feira Agroecológica, Apresentações, Exposições, Intervenções, Exibições: é só chegar nos locais indicados na programação!
  • Rodas de conversa: Tenda do VIII ESOCITE.BR – Lounge. É só chegar!

O ESOCITE.BR Transversal não é um evento paralelo, porque conversa, dialoga, provoca, questiona, atravessa, coloca em xeque pesquisas e pesquisadoras(es) e as premissas do conhecimento instituído.

A proposta se constrói como espaço público e popular, ao romper com o caráter excludente da academia, agregar e dinamizar a ciência e tecnologia, assim: revolta, angustia, entusiasma, mobiliza e maravilha!

Leia também: Estudos sociais das ciências retiram pesquisas das bolhas.

Compartilhe nas redes sociais
0Shares
Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *