O ano acabou de começar e já existem boas notícias para empreendedores da área de Ciência, Tecnologia e Inovação. Em 2018, começa a funcionar o Seed4Science, um Fundo de Investimentos em Participação (FIP) que irá beneficiar empresas de base tecnológica desenvolvidas nos centros de pesquisa de universidades e institutos federais sediados em Minas Gerais. Ao todo, o Fundo contará com R$50 milhões para investimento.

Estruturado pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e pela Fundep Participações (Fundepar), a iniciativa conta com diversos parceiros, entre eles a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG). São passíveis de investimento empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões, voltadas prioritariamente para os setores de biotecnologia, nanotecnologia, internet das coisas e materiais avançados, bem como tecnologia da informação e comunicação (em especial as que desenvolvem soluções relacionadas a big data e machine learning).

“Podemos afirmar que este fundo é um mecanismo de grande importância para o desenvolvimento tecnológico da nossa economia na medida que apoia o desenvolvimento de empresas inovadoras e, portanto, com alto potencial de crescimento”, comenta Ramon Azevedo, diretor executivo da Fundepar. Segundo ele, neste primeiro momento, o objetivo é investir em até 18 empresas. Cada uma poderá receber até R$ 700 mil em uma primeira rodada, podendo chegar a R$ 3,5 milhões em investimentos subsequentes.

Como funciona?

Na prática, funciona assim: instituições de referência no cenário de empreendedorismo e inovação disponibilizam capital para investimento em novos produtos e serviços por meio do fundo Seed4Science. A Fundepar Investimentos, na condição de gestora do fundo, seleciona e investe capital semente em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. O Fundo, então, se torna sócio da empresa investida, apoiando sua estruturação e crescimento por meio da Fundepar. Após alguns anos, sua participação na empresa investida é vendida a outras empresas ou aos próprios empreendedores, retornando o capital para os investidores.

A seleção das empresas que receberão o investimento acontece em cinco etapas: verificação de perfil da proposta enviada (prospecção), profundo entendimento da oportunidade (diagnóstico), construção do plano de investimentos (business case), aprovação da proposta (comitê de investimentos) e formalização do investimento (contratação). No site do Seed4Science, a candidatura a investimentos está aberta.

Lançamento

 

O Seed4Science foi lançado em dezembro de 2017, em cerimônia que contou com a presença do governador do Estado, Fernando Pimentel. Na ocasião, ele comentou: “Com dinheiro do Estado e das instituições de fomento à pesquisa, (o fundo) vai proporcionar às startups, aos empreendedores jovens, especialmente os que estão saindo das incubadoras universitárias, aquele impulso inicial. Todos os que estão aqui sabem disso, que o grande gargalo não é lá dentro da incubadora, é depois, no momento em que você sai, vai para o mercado e tem dificuldades para obter um financiamento, alavancar aquilo que pode ser, no futuro, uma grande empresa, um grande negócio”.

O reitor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Jaime Arturo Ramirez, também estava presente e considerou o lançamento do fundo um marco concreto da parceria entre instituições de ensino e a iniciativa privada. “Esse capital semente contribuirá para que as instituições privadas possam firmar parcerias com as instituições públicas que tenham compromisso com o avanço do conhecimento, de transformar o estado de Minas Gerais numa referência ainda maior no cenário nacional do que ele já é, na área da tecnologia da informação, no campo da comunicação, novos materiais, biomedicina, farmácia e nanomateriais. São áreas emblemáticas e portadoras de tecnologias do futuro”.

Mais informações sobre o Seed4Science pelo e-mail seed4science@fundepar.com.br ou no site da Fundepar