Fiocruz desenvolve dispositivo para teste molecular de COVID-19

Desenvolvido em parceria com a Visuri, equipamento pode tornar o exame mais acessível

Fiocruz desenvolve dispositivo para diagnóstico de Covid-19 (Samantha Mapa)

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz): Instituto René Rachou em parceria com a Visuri desenvolveram um novo dispositivo portátil capaz de realizar diagnóstico molecular da Covid-19 com menos custo e tempo. Chamado OmniLAMP, a ferramenta possibilita o diagnóstico por meio da detecção do material genético do SARS-CoV-2.

Dispositivo portátil permite testagem em massa com fácil logística e usabilidade (Crédito: Samantha Mapa)

Segundo Rubens do Monte, pesquisador da Fiocruz, o equipamento utiliza a técnica RT-LAMP, que ao detectar o RNA viral de amostras recolhidas do nariz e da garganta o transforma em DNA e o amplifica isotermicamente.

“O OmniLAMP é um dispositivo capaz de identificar, de forma automatizada, amostras que estejam positivas para o novo coronavírus. No equipamento, é utilizado um reagente que muda de cor na presença do vírus. O dispositivo identifica essa alteração e um software a interpreta. Em seguida, os dados são enviados para uma nuvem remota “, comenta Rubens.

Internet das Coisas

O resultado do exame realizado via OmniLAMP pode ser acessado em um aplicativo 30 minutos após a realização. Já nas primeiras amostras do ensaio clínico a sensibilidade desse teste foi de 97% e a especificidade de 100%, o que garante a confiabilidade do resultado.

O tempo de liberação de resultado, os custos envolvidos e a possibilidade de armazenamento dos dados são os diferenciais do equipamento. Segundo o pesquisador, tais aspectos são possibilitados devido à utilização laboratorial de baixa complexidade exigida pelo dispositivo.

Rubens do Monte explica, também, que o OmniLAMP, por meio de suas aplicações, possibilita a descentralização das testagens. “Com o uso da Internet das Coisas (IoT), no  envio e armazenamento de dados em nuvem, as informações podem ser utilizadas para acompanhamento dos casos ou ser acessados por agentes de governo, o que pode ajudar no controle da doença”, explica o pesquisador.

Pesquisador da Fiocruz Rubens Neto teve projeto aprovado para COVID-19 pela Fapemig (Créditos: Samantha Mapa)

Financiamento

O OmniLAMP está sendo desenvolvido desde 2018. Antes da pandemia do novo coronavírus, a pesquisa era focada no diagnóstico de dengue, zika e cikungunya.

 “Nós iniciamos essa linha de pesquisa a partir da aprovação no edital do Instituto Serrapilheira. Na época, entramos em contato com a Visuri para iniciarmos o estudo. Diante da pandemia, adaptamos o dispositivo para o diagnóstico da Covid-19. Em maio de 2020, passamos a desenvolver projetos que aplicam a solução de LAMP na detecção de tal vírus”, relembra Rubens do Monte.

Um dos projetos coordenados pelo pesquisador tem financiamento da FAPEMIG. Intitulado “Amplificação isotérmica (RT-LAMP) como alternativa para o diagnóstico de Sars.CoV-2 no enfrentamento à Covid-19”, o estudo foi aprovado no edital 01/2020, para dar continuidade a série de pesquisas laboratoriais.

Atualmente, o dispositivo portátil e os kits de teste estão em fase final de certificação na Anvisa. Os kits serão produzidos pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), e o dispositivo portátil, pela Visuri, em Minas Gerais. 

Conteúdo Relacionado