A gente já sabe que o Aedes aegypti é um grande inimigo e nunca podemos esquecer de combatê-lo. É transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela e se reproduz na água parada, portanto, é sempre bom manter o batalhão da limpeza ativo. Nada de água em vasinhos, garrafas e pneus. No entanto, a natureza também pode nos ajudar na tarefa de caça ao mosquito!

Cientistas do Laboratório de Ecologia e Controle Biológico de Insetos da Unimontes, no Norte de Minas Gerais, descobriram outro mosquito que gosta de comer as larvas do Aedes aegypti. O nome dele é bem grande, assim como o poder de evitar a proliferação do nosso adversário.

Toxorhynchites theobaldi, nosso mosquito-ajudante,  é um dos mais vorazes predadores biológicos da larva do Aedes. Ele gosta de ambientes úmidos, portanto, é muito encontrado nas áreas de Mata Atlântica em Minas Gerais, como Zona da Mata e Região Leste. Mas, os pesquisadores acharam esta espécie também em Montes Claros, o que os deixou bem surpresos porque a cidade é seca e tem o clima semiárido.

Este é o Toxorhynchites theobaldi, nosso mosquito-ajudante. Foto: Arquivo dos pesquisadores
Este é o Toxorhynchites theobaldi, nosso mosquito-ajudante. Foto: Arquivo dos pesquisadores

Experiências na natureza

Percebendo que o Toxorhynchites theobaldi havia aparecendo por lá, os cientistas montaram armadilhas para capturá-lo. Assim, inventaram um recipiente feito de bambu e instalaram em áreas escurinhas, no alto de árvores. Garantiram que esses lugares receberiam água da chuva e criaram um ambiente que o tanto Aedes aegypti quanto Toxorhynchites theobaldi gostam de se reproduzir.

Larva do Toxorhynchites theobaldi. Foto: Arquivo dos pesquisadores
Larva do Toxorhynchites theobaldi. Foto: Arquivo dos pesquisadores

Dessa forma, dentro das armadilhas se juntaram larvas dos dois mosquitos. Mas,  para que colocá-los juntinhos?

Os cientistas já sabiam que as larvas de Toxorhynchites theobaldi gostam de comer outras larvas.

Os pesquisadores perceberam que, na armadilha, estavam restando mais larvas do predador do que do Aedes, um sinal de que nosso inimigo era eliminado.

Nos estudos feitos em laboratório, foi possível saber que a larva do Toxorhynchites é extremamente voraz e pode devorar mais de 30 larvas de Aedes num único dia.

Depois disso, nosso mosquito-ajudante demora cerca de dois meses para crescer. É bem mais lento que o Aedes, pois este vira adulto em uma semana. Os cientistas acham essa diferença bem legal, porque quanto mais tempo a larva voraz viver sem se tornar mosquito, mais larvas inimigas ela comerá!

Larvas do Toxorhynchites theobaldi. Foto: Arquivo dos pesquisadores
Larvas do Toxorhynchites theobaldi. Foto: Arquivo dos pesquisadores

O grande desafio após esta descoberta é que, para fazer esse controle biológico e predatório do Aedes, seria necessária a produção em massa do Toxorhynchites em laboratório para soltura em campo. Mas, o nosso mosquito-ajudante não se reproduz naturalmente em laboratório.

É preciso induzir a reprodução, o que requer métodos específicos.

Futuramente, os cientistas vão tentar criar condições no laboratório para que o Toxorhynchites se torne, oficialmente, um soldado contra o Aedes.

Sobre o(a) autor(a)

Luana Cruz

Luana Cruz

Jornalista, professora e pesquisadora. É mãe dos gêmeos Martin e Heitor.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    OK No thanks