Duilia de Mello: “Ciência é uma carreira palpável e precisa das meninas”

Astrônoma brasileira, colaboradora da Nasa e vice-reitora da Universidade de Washington está no ‘Mulher Faz Ciência’

A astrônoma Duilia de Mello. Foto: GS1

Entusiasta da divulgação científica – ela já deu palestras para mais de 30 mil estudantes – Duilia de Mello é particularmente engajada em inspirar jovens mulheres a considerarem carreiras nas áreas de STEM (sigla, em inglês, para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática).

Não é preciso ser gênio para ser cientista, nem se comportar como aquela figura que imaginamos ser um cientista. A ciência é uma carreira palpável e precisa das meninas, também. Temos outras formas de solucionar problemas e de decidir quais são as prioridades. Imagine quantas meninas poderiam ter resolvido problemas que os meninos não solucionaram, até mesmo porque eles pensaram que não eram importantes. Esta é a relevância da mulher na ciência.

A astrônoma brasileira, que tornou-se cidadã dos Estados Unidos no ano passado, depois de mais de 20 anos morando no país, trabalha em colaboração com a Nasa desde 2003. Atualmente, é vice-reitora da Universidade Católica da América, em Washington, onde atua como professora titular do departamento de Física.

Biblioteca Oliveira Lima

Há um século, a instituição de ensino recebeu do escritor pernambucano Manoel Oliveira Lima, cofundador da Academia Brasileira de Letras, um acervo com 60 mil itens, entre livros raros, obras de arte e cartas trocadas com outros expoentes da Literatura nacional, como Machado de Assis e Monteiro Lobato. Duilia será responsável por coordenar a digitalização de parte da coleção da Biblioteca Oliveira Lima, o que possibilitará o acesso da população brasileira ao material.

Em reconhecimento aos serviços prestados ao Brasil ao longo de sua carreira, a cientista foi uma das personalidades escolhidas para receber a Ordem do Rio Branco, concedida pelo Ministério das Relações Exteriores, em 2020.

Mulher faz Ciência

Duilia de Mello é uma das personagens do terceiro volume e-book Mulher Faz Ciência, que será lançado no próximo dia 11 de fevereiro. Em 2016, a data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência. Assim como nas edições anteriores, o e-book, com distribuição gratuita, apresentará o perfil de dez cientistas brasileiras, com o objetivo de despertar o interesse de meninas e jovens mulheres para as ciências e dar visibilidade à produção científica de pesquisadoras brasileiras.

Alessandra Ribeiro

Graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - Uni-BH (2004). Especialista em Imagens e Culturas Midiáticas (2008) e mestra em Comunicação Social (2020) pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG . É jornalista do projeto Minas Faz Ciência desde 2015 e autora do e-book Mulher faz Ciência.

Conteúdo Relacionado