Hibisco desidratado em imagem meramente ilustrativa / Pixabay

As barras de cereal se popularizaram como lanches rápidos e práticos, ganhando preferência na dieta de quem se esforça para emagrecer.

No entanto, o consumo dessas barrinhas pode ser uma armadilha, pois muitas delas têm alto teor de açúcar e gordura.

Outro alimento frequentemente consumido por quem está de dieta é o famoso chá de hibisco.

Na Universidade Federal de Lavras (UFLA), duas pesquisadoras dedicaram-se a unir a praticidade da barra de cereal com as vantagens nutricionais do hibisco.

Nos departamentos de Química e de Engenharia de Alimentos, a estudante Vitória Pinto dos Santos e a professora Luciana Lopes Silva Pereira uniram seus esforços de pesquisa para colocar todos os benefícios da flor de hibisco em barras de cereal.

Benefícios do hibisco

[quote align=’right’]Além dos benefícios nutricionais agregados à adição do hibisco, as barras desenvolvidas na UFLA ainda contêm 60 calorias em uma porção de 20 gramas, ou seja, são menos calóricas do que a barra convencional encontrada no comércio (em torno de 70 calorias).[/quote]

O hibisco é uma planta exótica de origem africana. Rica em compostos antioxidantes, a planta é popularmente conhecida por sua ação diurética.

Para a pesquisa, o hibisco foi desidratado e se tornou ingrediente de geleia sem adição de açúcar.

Com a fórmula, as pesquisadoras criaram duas barras de cereais: uma recheada e outra com a geleia misturada na composição.

Para enriquecer o alimento, foram acrescentados aveia, rica em fibras e proteínas, e óleo de chia, famoso pelo alto teor de antioxidantes e ômega 3.

Vitória Pinto dos Santos e sua orientadora, Luciana Lopes Silva Pereira. Reprodução / UFLA

Barras de cereal aprovadas no teste de sabor

Oitenta voluntários avaliaram as barrinhas desenvolvidas nos laboratórios da UFLA nos quesitos sabor, textura, aparência e impressão global.

“A composição da barra foi pensada para atender valor nutricional e pelo menos 85% dos participantes aprovaram o produto”, informou a estudante Vitória Pinto dos Santos.

Os efeitos da adição da geleia de hibisco em barra de cereal convencional também foram analisados.

A inovação duplicou o percentual de fibras e proteínas do produto:

“Comprovamos a diminuição da quantidade de lipídios (gordura) e a redução de carboidratos no alimento”, afirmou a orientadora, a professora de Bioquímica Luciana Lopes Silva Pereira.

Confira o resumo da pesquisa também em vídeo:

Há quatro anos, a UFLA investe em pesquisas para desvendar a flor de hibisco.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação da UFLA.

Verônica Soares

Jornalista de ciências, professora de comunicação, pesquisadora da divulgação científica.

Conteúdo Relacionado