Autoridade para falar em bioética

Por Vivian Teixeira

Fala pausada, olhar atencioso, escuta cuidadosa. Ouvir William Saad Hossne, pesquisador conhecido por sua militância na área de bioética, fundador da Sociedade Brasileira de Bioética e parceiro na criação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), pode ser considerado um presente. O regalo foi recebido por cerca de cem pessoas que participaram de sua conferência durante a 67ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Bioética

O termo, embora só tenha sido cunhado em 1970, já é debatido desde os tempos de Hipócrates. A Bioética é uma área transdisciplinar que reúne a biologia, as ciências da saúde, a filosofia e o direito, e discute a dimensão ética de lidar com a vida humana e animal no contexto da pesquisa científica e suas diversas aplicações.

Durante sua conferência, o pesquisador falou sobre os referenciais que orbitam o campo da bioética. “O maior problema que estamos enfrentando hoje é a definição de princípios. Cada pessoa vê de uma forma, por isso é importante definir sobre que valores são esses. Prefiro chamar de referenciais”, ressalta o pesquisador.

As aplicações da ética na medicina, na pesquisa, a discussão da bioética nas universidades, a evolução do conhecimento ao longo da história e os frequentes casos de fraudes em pesquisa nos dias de hoje foram tópicos tratados durante o encontro. A plateia ouvia admirada.

SONY DSC

Ao final da exposição, Saad Hossne ouviu com atenção a pergunta dos presentes e usava, com cuidado, cada palavra, para garantir, como ele frisou, que a fala explicasse mais que obscurecesse. Destacou que integridade e ética na pesquisa é tão importante que muitos mecanismos estão sendo criados para identificar casos de fraudes, como alguns aplicativos, por exemplo. “Gosto de fazer uma comparação que pode parecer agressiva, mas diz um pouco do que é preciso para lidar com Bioética: não se pode ter um cirurgião, sem mãos; nem um médico da área de medicina diagnóstica, cego; nem um Bioético sem caráter”, explicou.

Ovacionado, o pesquisador agradeceu a presença de todos e se disse surpreso com o interesse de tantos jovens no tema. Antes de sair, atendeu com alegria e humildade à imprensa e aqueles que desejavam agradecer suas palavras e contribuição, provando que o tema com que ele trabalha faz parte, sobretudo, de sua vivência diária.

Continue acompanhando a 67ª reunião anual da SBPC. O evento se encerra neste sábado, 18/7:

Verônica Soares

Jornalista de ciências, professora de comunicação, pesquisadora da divulgação científica.

Conteúdo Relacionado