Ter boa percepção da vida é fonte de equilíbrio

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/65180053″ iframe=”true” /]

Parece piada, mas rir pode ajudar a prevenir ou a enfrentar graves doenças. Já existem estudos científicos que comprovam que vários sistemas de nosso organismo se beneficiam do bom humor e da melhor percepção da nossa realidade. Ondas da Ciência (#48) foi conversar sobre percepção, bom humor e ilusão com o médico pediatra Eduardo Costa Tavares. Coordenador do projeto Oficina do Riso, ele é professor da Universidade Fumec e da PUC-Minas, e aposentado da UFMG. Mágico amador, ele conta que sua antiga admiração pelo ilusionismo o levou a se interessar por abordagens incomuns da saúde.

Como a teoria da neuromágica, do casal de médicos americanos Stephen Macknik e Suzana Martinez-Conde. Em setembro eles estiveram em Belo Horizonte para a abertura de um seminário internacional organizado pelo curso de Neurociências da UFMG (+).

Segundo a dupla, tudo que a gente vê e sente é coisa da nossa cabeça. Ou seja, o nosso cérebro constrói com as poucas informações que recebe. Que a ilusão é parte integrante do caráter humano. Que enganamos uns aos outros e que sobrevivemos melhor e usamos menos recursos cerebrais ao fazê-lo, por causa da maneira pela qual nosso cérebro produz a atenção, afirmam em seu livro “Truques da mente”: o que a mágica revela sobre o nosso cérebro”.

Neurociência é todo tipo de estudo do sistema nervoso. Como ele se desenvolve, como funciona ou deixa de funcionar, como ele promove o nosso comportamento, desenvolvimento ou emoções, ou como se explica semelhanças e diferenças entre indivíduos e espécies.

Saiba mais
Terapia do Riso (American Association for Therapeutic Humor)

Trilha sonora Royalty Free Use Free:  Chipper.mp3; Transition One.mp3; World Groove.mp3.

Conteúdo Relacionado