Espécies que não são naturais ou nativas de uma região e foram introduzidas por humanos de forma intencional ou acidental. Esse é o caso do Aedes aegypt, dos javalis e do coronavírus, todos três conhecidos por serem espécies exóticas invasoras. Isso quer dizer que essas espécies chegaram a um novo lugar associadas a alguma ação humana, acabaram se proliferando e geram algum tipo de dano ou impacto negativo à saúde, agricultura, pecuária, ao equilíbrio ecológico, entre outros.

De acordo com o professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Rafael Dudeque Zenni, que é especialista em invasões biológicas, para entendermos melhor esses bichos e plantas, que crescem de forma desenfreada e causam prejuízos, é bom lembrar a ideia de praga ou erva daninha, que são nomes mais usados para representar invasores de sistemas agropecuários.  

“Poucas são as espécies que conseguem sobreviver e se reproduzir como invasoras. Se olharmos ao redor nas cidades, nos jardins e nas ruas, a gente vê muitas plantas e bichos exóticos. Não necessariamente eles conseguem existir em grandes proporções. Acredita-se que apenas cerca de 1% consegue se proliferar e causar danos”, explica o professor.

O mosquito Aedes aegypt, transmissor da dengue, febre amarela, zika vírus e chikungunya, têm origem africana e está muito presente no Brasil. O javali (Sus scrofa) é nativo da Europa e foi introduzido no Brasil a partir da década de 1960 para a exploração comercial da carne. É uma das 100 piores espécies exóticas invasoras do mundo, de acordo com a União Internacional de Conservação da Natureza. Já o coronavírus (SARS-CoV-2) é um invasor com origem na Ásia que se espalhou pelo mundo inteiro, talvez o exemplo mais notório de como uma invasão biológica pode acontecer rápido.

Outros exemplos de espécies exóticas invasoras

Capim gordura

Introduzido acidentalmente no Brasil durante o tráfico de escravos africanos. Foi transportado nos navios, sem querer, porque eram usadas terra e pedra para equilibrar as embarcações. Junto com esse material vieram sementes do capim gordura (Melinis minutiflora) que se proliferou em nosso país.

Madressilva

É uma planta ornamental de nome científico (Lonicera japonica). Nesta foto, é possível ver uma invasão em um bosque de Mata Atlântica. O tapete formado pela espécie exótica invasora sufoca e exclui toda a vegetação nativa.

Abelha do mel

A abelha (Apis mellifera) tem origem na Europa e foi introduzida intencional em várias regiões do mundo para produzir o mel. É o exemplo mais conhecido de espécie exótica invasora que foi espalhada com um objetivo especial.

Mexilhão-dourado 

Molusco que vive em água doce e tem causado grande impacto no sistema de energia elétrica. Ele se prolifera rapidamente e entope tubulações e filtros das hidrelétricas. Também obstrui estações de tratamento de água, de refrigeração de indústrias; de unidades geradoras de energia e de sistemas contra incêndios.

Leia, em breve, no site Minas Faz Ciência matéria a respeito do estudo global sobre cenários de invasões biológicas. O professor Rafael Dudeque Zenni faz parte da pesquisa.

Sobre o(a) autor(a)

Luana Cruz

Luana Cruz

Jornalista, professora e pesquisadora. É mãe dos gêmeos Martin e Heitor.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications.    Ok No thanks