[Palavra de Cientista] Ciência Cidadã

—-

Os cientistas são pessoas responsáveis pelas descobertas, pelas inovações e pelos avanços de conhecimento da nossa sociedade. Eles descobrem vacinas, inventam novas máquinas, descrevem espécies ainda desconhecidas e até analisam o universo em busca de novos astros.

A ciência tem como base o método científico, no qual o cientista tem de ser imparcial, analisar os dados com a matemática e não com as emoções.

Além disso, o método científico também exige que qualquer descoberta tenha todos os passos muito bem descritos, para que outros cientistas possam refazer os experimentos e verificar se chegam aos mesmos resultados.

Mas isso não quer dizer que fazer ciência é só para cientistas. Há muitas maneiras de brincar de ciência na sua casa, ou mesmo praticá-la na sua escola.

Quando temos uma boa educação científica tendemos  a duvidar do que as pessoas nos dizem, pois queremos ver os dados. Estes dados valem mais que qualquer opinião e auxiliam você a tomar as melhores decisões para sua vida, baseadas nas melhores informações disponíveis.

Então, se estamos entendidos que ciência e método científico não são só para cientistas e que todos devem ser educados desde a infância sobre como a ciência funciona, vamos falar de ciência cidadã!

Ciência Cidadã

A ciência cidadã acontece quando cidadãos participam de um trabalho científico, principalmente da coleta de dados. Ela é um movimento de integração entre os cientistas e a sociedade na produção e valorização do conhecimento.

Os cientistas do mundo todo reconhecem que as inovações são maiores e mais frequentes com a participação do público em seus projetos. Dessa forma, a ciência cidadã provoca, amigavelmente, o engajamento da população em assuntos importantes  e diminui a distância entre os cientistas e a sociedade.

Ela conta com um movimento internacional que pode ser acessado clicando neste link

Junto à ciência cidadã, também temos movimentos de financiamentos coletivos (crowdsourcing) aos quais é possível doar dinheiro para o desenvolvimento de projetos.

Exemplos

Vamos agora ver alguns exemplos nacionais e internacionais de ciência feita com a participação dos cidadãos?

Borboleta Monarca

Você já viu uma borboleta monarca? 

As borboletas monarcas são muito conhecidas na América do Norte por sua  migração de milhares de quilômetros pelo continente norte americano.

Elas possuem um padrão de coloração preto e laranja facilmente reconhecidos pelas crianças norte americanas.

Suas lagartas, assim como as de muitas outras borboletas, se alimentam de plantas e sofrem metamorfose para se transformarem em uma borboleta.

Com toda a degradação da natureza, as lagartas vêm perdendo seus habitats e suas populações podem estar ameaçadas.

Desde 1990, cientistas da Universidade de Minnesota resolveram contar com a ajuda das crianças para monitorar e avaliar as populações de monarcas por todo os Estados Unidos.

As crianças voluntárias monitoram diversos locais procurando as lagartas, muitas vezes em seus próprios quintais ou os de suas escolas.

Coletam os dados e enviam para os cientistas. Os cientistas produzem um mapa com os dados enviados e decisões para conservação da espécie podem ser tomadas baseadas nestas importantes informações.

Observadores de aves

O primeiro projeto de ciência cidadã registrado no mundo aconteceu quando a National Audubon Society, uma sociedade norte americana de observadores de aves amadores realizou uma contagem de aves no natal do ano de 1900.

Galaxy Zoo

Já o projeto considerado o mais bem sucedido, foi o Galaxy Zoo, no qual milhões de galáxias e estrelas foram classificadas por voluntários a partir das imagens do maior e melhor mapa tridimensional do universo já feito.

SDSS

O trabalho de classificação dos componentes do universo que tomaria algumas décadas ou séculos, se feitos somente por cientistas, foi realizado em poucos dias.

O projeto chegou a receber 70 mil classificações de galáxias por hora e no fim do primeiro ano, aproximadamente 50 milhões de classificações foram feitas por mais de 150 mil voluntários.


No Brasil

Temos também várias iniciativas brasileiras.

Wiki Aves


Uma das mais importantes se chama wikiaves. 

Esta é uma iniciativa da comunidade de observadores de aves do brasil, que juntos construíram a maior base de dados sobre as aves que habitam o nosso país.

Tudo sendo construído pela observação de quase 35 mil voluntários. Já foram feitos mais de três milhões de registros de 1890 espécies de aves.

Urubu: ecologia de estradas

 

Alguma vez você viu um bicho atropelado na estrada e ficou curioso para saber o que era? E se você pudesse contribuir para que menos animais fossem atropelados?

Você pode sim!

Um ramo da ecologia chamado ecologia de estradas, desenvolveu no Brasil um aplicativo para celular chamado “urubu”.

Este aplicativo, usando os dados coletados por voluntários, que ao verem um animal atropelado tiram uma foto e esta foto tem sua localização anexada denuncia que mais de 1 milhão de animais silvestres são atropelados por dia no Brasil.

O app é gamificado e você acumula mais pontos a partir dos registros que faz, podendo virar Urubu Rei através de suas conquistas!

Então? Vamos fazer ciência?

Sobre o(a) autor(a)

frame3

Conteúdo Relacionado