Roupas animadas no conglomerado da Serra

A integração das roupas com recursos digitais está cada vez mais comum.

A grife Remexe, do Centro Cultural Lá da Favelinha, do Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte, desenvolveu uma coleção com animações e marcadores em realidade aumentada.

Você se lembra do que é realidade aumentada, né? A mesma tecnologia de projeção de Pokemon Go!

O projeto, que foi apresentado na Inglaterra no final do ano passado, contou com a participação de um estudante de Design da Universidade Federal de Minas Gerais

A oportunidade de participar do projeto foi apresentada pela coordenação do seu curso na Universidade.

Após ser um dos escolhidos para trabalhar na criação de marcadores (desenhos usados pelo aplicativo), Igor Caramaschi recebeu orientações do criador do projeto Jandig, um coletivo que trabalha com investigações sobre a intervenção de marcadores para visualização de obras sobre o espaço urbano.  Traduzindo, eles projetam realidade virtual pela cidade.

Na sequência, ele desenvolveu animações curtas de, no máximo, 15 segundos. A partir daí, as imagens das roupas são exibidas no aplicativo na forma das animações.

A temática corrupção e buso de poder da polícia foi proposta pela comunidade do aglomerado da Serra.

Igor criou o personagem Aglomerado Man, inspirado na estética dos quadrinhos e que foge de padrões estereotipados.

Aglomerado Man é negro, gordo e homossexual.

“É um super-herói da comunidade”, define o estudante, ressaltando que sua preocupação foi criar um personagem que representasse melhor aquela população.

Desafios

Um dos desafios enfrentados por Igor Caramaschi foi compreender o funcionamento do aplicativo e a maneira de se produzir arte para o software.

“Outra dificuldade foi desenvolver um trabalho artístico para pessoas que eu nunca tinha visto antes. Por isso, foi muito importante receber um briefing”, revela ele, referindo-se ao conjunto de informações ou coleta de dados passados em uma reunião para o desenvolvimento de um trabalho ou documento.

Desfiles

A viagem do Remexe para Bristol, na Inglaterra, realizada no fim de novembro e na primeira quinzena de dezembro, foi patrocinada pelo Conselho Britânico.

A coleção, denominada Aglomerado da Serra, foi apresentada em desfiles no Shopping Cabot Circus e contou com os personagens desenvolvidos no Brasil estampando suas roupas.

Os marcadores em realidade aumentada ficaram expostos em manequins, no mesmo centro comercial.

Selecionado em edital governamental, o projeto Garota Hacker foi realizado por meio de parceria com o Centro Popular Gargarullho, o Instituto Kairos, o Zuuk Night e o British Council.

(Com informações de Samuel Resende para o Boletim UFMG 2.087)

Sobre o(a) autor(a)

Avatar

Lorena Tarcia

Jornalista e professora apaixonada por ciências!
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications.    Ok No thanks