Se ontem foi Dia Mundial dos Surdos, hoje é dia de falar de próteses para pessoas com deficiência física! Sim, talvez você conheça alguma criança ou adulto que precisa usar um aparelho ou uma peça ligada ao corpo, para suprir a ausência de um membro, por exemplo.

Atleta paralímpico com próteses de corrida.
Atleta paralímpico com próteses de corrida.

Muitas vezes, essas próteses são usadas temporariamente, como nas Paralimpíadas, em que os atletas usam próteses de alta performance tecnológica para a corrida, como na foto ao lado. Outras pessoas optam por usar as próteses para facilitar algumas atividades do dia a dia, como pegar objetos, por exemplo.

A história que a gente vem contar hoje mostra que o uso de próteses é muito mais antigo do que a gente imagina! Pesquisadores já acharam uma múmia de 3000 anos de idade que tinha um dedo de pé de madeira!

Esse dedo tinha sido adaptado para se encaixar ao pé da múmia (que era uma mulher), com tiras de fixação projetadas para o conforto. Veja a foto:

O dedo de madeira achado em uma múmia de 3 mil anos! Fot: Matjaž Kačičnik/University of Basel, LHTT / Reprodução LiveScience
O dedo de madeira achado em uma múmia de 3 mil anos! Fot: Matjaž Kačičnik/University of Basel, LHTT / Reprodução LiveScience

O trabalho de criação dessa prótese tão antiga foi considerado extraordinário pelos pesquisadores! O dedo do pé poderia até flexionar.

Pirata da Perna de Pau, um exemplo bem antigo de uso de prótese.
Pirata da Perna de Pau, um exemplo bem antigo de uso de prótese.

Esse se tornou um dos exemplos mais antigos de próteses, mas pernas de pau de piratas também são exemplos de peças usadas em substituição a partes do corpo. Essas próteses têm uma longa e inventiva história.

Próteses na literatura e na história

As próteses são uma tecnologia muito antiga. Partes do corpo substituídas por peças de madeira ou outro material são mencionadas em vários textos da literatura clássica, em diferentes culturas.

O herói grego mítico Pelops, acidentalmente ingerido pelos Deuses, exibiu um ombro de marfim após sua reconstrução. Heródoto menciona guerreiros com pés de madeira, e também há exemplos da Ásia e de Roma. Existem exemplos arqueológicos para confirmar o que esse universo literário conta.

A "Capua", prótese mais antiga do mundo
A “Capua”, prótese mais antiga do mundo

A prótese européia mais famosa é a perna Capua, descoberta ao norte de Nápoles, que data de 300 aC. Feito de um núcleo de madeira embutido em bronze, a perna estava vazia perto do topo, para acomodar o acolchoado para o proprietário (imagem à esquerda).

As barras finas e as tiras ajudavam a segurar o membro no lugar. A folha de bronze parecia a armadura dos soldados. Isso sugere que foram soldados que construíram essa peça, não o pessoal médico. Uma seção oca no tornozelo provavelmente foi projetada para um pé separado, que nunca foi descoberto.

As próteses e a tecnologia

Na França e na Suíça, desde o final do século XV até o século XIX, foram construídos diversos membros personalizados.

Feitos de combinações de madeira, metal, couro e outros materiais, alguns desses projetos passaram a ser controlados por cabos, engrenagens, manivelas e molas, e os membros puderam ser girados e dobrados. A tecnologia ajudou a desenvolver dedos das mãos de próteses, feitos para agarrar objetos.

As Guerras Mundiais e outros conflitos de grande escala, como a Guerra do Vietnã, infelizmente aumentaram a demanda por próteses em todo o mundo, levando a ciência a colaborar com a criação de membros melhores.

Agora, as próteses podem ser feitas com materiais de última geração e projetados especialmente para diferentes aplicações, de acordo com as necessidades de cada pessoa.

As próteses mais caras existentes no mercado podem ser controlados pelo pensamento, quase como um membro real! O progresso desde os dias dos dedos de madeira foi e, sem dúvida, continuará a ser surpreendente.

Inclusive, um projeto chamado E-Nable já produz próteses para crianças em impressoras 3D, inspiradas em super-heróis e super-heroínas. Não é muito bacana?

Reprodução / E-nable
Reprodução / E-nable

Via JStor.

Sobre o(a) autor(a)

Verônica Soares

Verônica Soares

Jornalista e curiosa! Gosto de ler e estudar sobre comunicação, história e ciências.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    OK No thanks