Você conhece o flamingo? Esse animal que atrai nossos olhares curiosos não é somente uma ave esbelta e elegante, é também um grande equilibrista. Quer saber o motivo? A gente conta aqui…

Animais no Jardim dos Flamingos, Flórida (EUA). Foto: Ethan Oringel/ Flickr

 

Jurong Parque das Aves em Singapura. Foto; Michael Gwyther Jones/Flickr
Jurong Parque das Aves em Singapura. Foto; Michael Gwyther Jones/Flickr

Os flamingos podem ficar em uma perna só por muito tempo. Eles fazem isso até dormindo. Cientistas americanos descobriram que eles nem precisam fazer força na posição de equilíbrio, pois conseguem repousar assim naturalmente. De acordo como os pesquisadores, não é cansativo para eles ficar de uma perna só.

Muitos pássaros adotam essa postura de uma perna, muitas vezes enquanto dormem, mas o flamingo é um exemplo extremo.  Os especialistas acreditam que as aves façam isso para economizar energia e reduzir o cansaço muscular causado pela troca de pernas.

Se existisse uma modalidade olímpica para testar quem consegue ficar mais tempo de uma perna só, os flamingos seriam medalha de ouro.

O estudo das patas

Uma equipe de cientistas que se propõe a estudar os flamingos tem que ser multidisciplinar. Não bastam biólogos e outros especialistas em vida animal, é preciso chamar biomédicos, engenheiros e físicos para entender esse bicho.

Pesquisadores das universidades de Emory e da Georgea, nos Estados Unidos, analisaram o comportamento de flamingos num zoológico. Eles examinaram os ossos e articulações dos animais.

Os cientistas observaram oito jovens flamingos que haviam acabado de comer. Os animais foram colocados sobre um dispositivo chamado “placa de força” que mede o equilíbrio ou os movimentos do corpo quando a ave se estabiliza.

Veja o vídeo dos flamingos sendo testados pelos cientistas:

Segundo os especialistas, os flamingos faziam pouquíssimos movimentos quando estavam adormecidos. Esta é uma reação diferenciada desses animais porque nós humanos quando ficamos de uma perna só e fechamos os olhos, precisamos contar com uma influência postural.

Imagine se tentássemos ficar nessa posição do flamingo? Ganharíamos dores nas pernas ou uma queda na certa. Manter os tornozelos e joelhos em um ângulo de 90 graus é coisa para profissional.

Foto: Jayel-Aheram/Flickr
Foto: Jayel-Aheram/Flickr

A ciência explica

Quando nós humanos ficamos em uma perna só, o sistema nervoso detecta instabilidade e envia mensagem para os músculos dizendo que eles precisam contrair para firmar o corpo. Os flamingos, no entanto, não dependem dos músculos para alcançar estabilidade.

O estudo com os animais do zoo mostrou que os flamingos dependem apenas das suas articulações e ligamentos para manter tudo no lugar. É um truque contra a gravidade que o flamingo faz sem esforço.

Pesquisadores dizem que esse animal desenvolveu um “aparelho de permanência gravitacional”. A ave joga boa parte da responsabilidade de equilíbrio para o tornozelo, sem necessidade de sustentação muscular.

Os cientistas também observaram que o bicho não faz muito força para sair da posição. Flamingos trocam a pata de apoio com muita facilidade, vencendo o vento forte ou a água que podem tentar empurrá-los.

Inspiração

Entre os cientistas da pesquisa estão alguns especialistas que trabalham fabricando próteses para pessoas que perderam membros em acidentes ou nasceram com alguma deficiência.

O mais legal é saber que essa física da postura dos flamingos está servindo de inspiração para a robótica e próteses motorizadas. A ciência poderá copiar um pouco das técnicas naturais do flamingo.

E você aí pensando que só o saci-pererê fica em uma perna só….

Fonte das informações: The Science Behind the Flamingo’s One-Legged Stance e Mechanical evidence that flamingos can support their body on one leg with little active muscular force

Sobre o(a) autor(a)

Luana Cruz

Luana Cruz

Jornalista, professora e pesquisadora. É mãe dos gêmeos Martin e Heitor.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    OK No thanks