A grande explosão

De que são feitas as estrelas? Como surgiram as galáxias? E os planetas? Nossa! Parecem perguntas de criança, não é mesmo?

Mas, na verdade, questões assim são feitas ao longo da história da ciência, e ainda intrigam pesquisadores de vários países.

Quer um exemplo? Veja os físicos e engenheiros do Conselho Europeu para a Pesquisa Nuclear, mais conhecido como Cern: eles trabalham num megatúnel, com 27 quilômetros de extensão, construído embaixo da França e da Suíça, onde funciona o mais potente acelerador de partículas do mundo, o LHC.

Xiiiiii… Complicou tudo! O que, exatamente, é um acelerador de partículas?

A sigla LHC vem da expressão inglesa Large Hadron Collider, que quer dizer “o grande colisor de hádrons”. Ah, claro! Agora, entendi tudo!

Na verdade, está ainda mais difícil de entender, né?! Vamos por partes, então. Antes de explicar melhor os hádrons, você precisa saber que os cientistas querem recriar, com esse tal acelerador, uma grande explosão, conhecida como “Big Bang”.

Este é o nome da principal teoria científica que explica a origem do universo. Quem vai nos ajudar a descrevê-la é o físico José Abdalla Helayël-Neto, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF):

“O Big Bang foi o período em que o universo todo parecia um grande mingau, muito grosso e superaquecido. Ele começou a se resfriar e, a partir do mingau superquente, a matéria começou a se formar”.

A matéria, explica José Abdalla, é tudo aquilo que tem massa e peso. Em outras palavras, é o material que está em todas as coisas.

Você já deve ter ouvido alguém falar, por exemplo, que “os corpos se atraem”. Pois bem: não apenas os corpos humanos, mas todas as coisas são feitas de matéria. E matéria atrai matéria, por uma força chamada gravidade. (Veja! Nós acabamos de resumir a famosa Lei de Isaac Newton. Diz a lenda que ela foi criada quando Newton (1643-1727) observou a queda de uma maçã!)

Mingau, maçã… Antes que você comece a ficar com fome, José Abdalla conta que, depois de formada a matéria, ela se separou da energia e, assim, surgiu a luz. Foi quando as primeiras estrelas nasceram:

“Eram gigantescas, com tamanho 10 a 20 vez maior que o do Sol. Por serem tão grandes e pesadas, elas explodiram, formando outras estrelas, que também seguiram este destino e formaram outras e outras e outras. Com a matéria cada vez mais agregada em forma de estrelas e galáxias, o universo foi se esfriando, e, hoje, já muito frio, ficou do jeito que o conhecemos.”

Tudo bem, tudo bem! Mas e os hádrons, que aparecem na sigla LHC (“o grande colisor de hádrons”)? Eles são, na verdade, minipartículas presentes na menor parte da matéria: o átomo.

É como se você pegasse a matéria e dividisse nos menores pedaços possíveis. Essas partículas finais, que não podem ser divididas, são os átomos.

“No núcleo dos átomos, estão partículas menores ainda, os hádrons”, explica José Abdalla.

O LHC, portanto, é uma tentativa de recriar a explosão que deu origem ao universo, segundo a teoria do Big Bang. Os cientistas colocaram hádrons dentro de um acelerador circular, que se movimentam em grande velocidade, em direções opostas, até se chocarem. Cada um desses choques é atentamente observado pelos pesquisadores.

O Bóson de Higgs

struni

Uma das descobertas mais importantes desde que criaram o LHC foi a comprovação da existência do Bóson de Higgs. Nosso amigo José Abdalle nos ajuda a entender essa história.

“O Bóson de Higgs é uma minipartícula do universo inicial, que apareceu logo após o Big Bang e se uniu à matéria para dar a ela a sua massa (o seu peso) e outras propriedades, como a carga elétrica”, explica o cientista.

Recentemente, foi divulgada a foto mais nítida da partícula já feita até hoje. Também chamada de “partícula Deus”, ela já havia sido imaginada pelo físico escocês Peter Higgs, em 1964. Quase 50 anos depois, os cientistas mostraram que Higgs estava certo e ele ganhou o Prêmio Nobel de Física, em 2013.

Sobre o(a) autor(a)

Alessandra Ribeiro

Alessandra Ribeiro

Jornalista, mestra em Comunicação Social pela UFMG e mãe do Kenzo. :-)
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    OK No thanks