Estamos todos cheios de dúvidas sobre o coronavírus e o isolamento social. Muitas dessas perguntas que passam pelas nossas cabeças, já foram respondidas pelos cientistas, outras ainda são pesquisadas. Afinal, essa é uma das missões da ciência, conseguir repostas para situações desafiadoras como a pandemia que vivemos. Por isso, a ciência é tão importante e fascinante!

O Minas Faz Ciência, em parceria o portal Cria Para o Mundo, convidou cientistas para esclarecer dúvidas das crianças sobre a Covid-19. Vocês enviaram as perguntas e os pesquisadores responderam. Confiram o resultado, pois a dúvida da Olívia, Pedro, Benjamin, Valentina, Matheus, Rafael e João pode ser a sua também:

  • Olívia, 7 anos: Como o vírus se forma? O que ele é e o que ele tem por dentro?

O coronavírus tem o nome de Sars-CoV-2 porque é vírus novo, parente de outros coronavírus, mas que sofreu mutações. Ou seja, ele passou por alterações no seu funcionamento que fizeram dele um vírus um pouquinho diferente.

O coronavírus se forma pela ligação entre moléculas muito pequenas. O vírus é uma capinha de gordura e tem espinhos na superfície que dão um aspecto de coroa. Esses espinhos se ligam na superfície das nossas células para invadir.

O vírus é como um chocolate, tem uma capinha externa e um recheio. Dentro desse recheio, existe um material genético que vai permitir a ele se multiplicar. Mas, os vírus não conseguem fazer isso sozinhos, eles precisam entrar em nossa célula e lá dentro liberam material genético.

Como a nossa célula não sabe que tem vírus lá dentro, acaba ajudando fazer várias cópias desse material genético. Isso vai resultar em um monte de vírus

( Viviane Alves Gouveia,  Departamento de Microbiologia UFMG)

  • Pedro, 6 anos: Por que não posso ir ver o meu avô? e  Benjamin, 3 anos: Quando eu vou poder brincar no parquinho?

Meninos, estamos em período de isolamento social. Vejam a explicação completa no vídeo do programa Explicatricks, que conta com a ajuda da cientista Cláudia Regina Lindgren, da Faculdade de Medicina da UFMG . Ela colabora com as revisões técnicas do conteúdo. Aproveitem para assistir a todos os vídeos do canal! Se quiserem, leiam também a última resposta deste texto, direcionada ao João.

  • Valentina, 4 anos: Se todo mundo tem que ficar em casa, por que o motorista de ônibus está na rua dando tchau pra mim da janela?

O motorista está trabalhando para ajudar a cidade, transportando aqueles que precisam cuidar da gente. Ele leva médicos e enfermeiras aos hospitais, os garis para limpar as ruas e deixar a cidade limpa, os atendentes de farmácias, supermercados e padarias para comprarmos remédios e comida. Quando ele passa na porta da sua casa e te manda um sorriso e um tchau é para lembrar que ele está cuidando de todos nós e que precisamos ficar em casa!

Grande beijo e proteja-se!

(Guilherme Leiva, Departamento de Engenharia de Transportes do CEFET-MG)

  • Matheus, 10 anos: Como é um vírus? Como ele consegue matar uma pessoa? Como mata o vírus? Como ele consegue viver tanto tempo nas coisas?

O vírus é uma capinha de gordura com espinhos na superfície. Esses espinhos são feitos de proteína e usados para se ligar às nossas células e invadir. Dentro da célula ele vai se multiplicar com ajuda da própria célula que não sabe que ele está lá. Então, nossa célula ajuda a fazer muitas cópias do vírus. É assim que ele pode matar uma pessoa.

Nem sempre ele mata, pois a gente tem células de defesa. A gente fica em contato com esses organismos invisíveis o tempo todo. Eles entram no nosso corpo, mas as nossas células de defesa eliminam e matam. Às vezes, nosso corpo não conhece bem esse microrganismo que se multiplica muito rápido, como é o caso do coronavírus.

Quando ele entra na célula, ela demora a perceber. Enquanto isso, ele vai se multiplicando. Quando se multiplica dentro de uma célula, ele dá origem a vários vírus que infectam outras células. É uma reação em cadeia. Cada vírus infecta uma nova célula, se multiplica, dá origem a vários vírus. Esse processo vai matando muitas células e, por isso, afetando nosso organismo.

Dependendo de onde o vírus entrar, pode matar mais rápido. A pessoa que tem outras doenças tem mais chances de complicações, pois o vírus é muito rápido. Ele vai matando as células que a gente precisa para viver.

Os vírus e outros microrganismos são muito fáceis de eliminar quando estão do lado de fora do nosso organismo, mas dentro do nosso corpo eles se escondem. Do lado de fora, a gente consegue matar o vírus com desinfetante ou com água e sabão.

O melhor método é água e sabão, por isso a orientação de lavar as mãos com frequência, pois destrói todos os microrganismos. Lavar a mão é de extrema importância. Você precisa esfregar as mãos cerca de 20 segundos. Pode contar bem devagar e, assim o sabão vai eliminando a capinha do vírus.

Por fora o vírus tem gordura e esses espinhos de proteína, quando você passa sabão nas mãos essa capinha de gordura se dissolve. Sem ela, o coronavírus não consegue sobreviver por longos períodos.

A gente viu vários cientistas falando que os vírus ficam três dias nos ambientes. Isso acontece para todo microrganismo, mas a gente não enxerga. Eles têm uma estabilidade no ambiente, mas os vírus são os que duram menos. Infelizmente, o tempo que ele fica no ambiente é suficiente para nos infectar, por isso é importante ter higiene.

Não entrar em casa com sapato da rua, não usar de novo roupa que brincou ou que saiu de casa, limpar sempre a casa, lavar sempre as mãos, cuidar das coisas que compra na rua porque podem estar contaminadas.

Se você tiver higiene, evita se contaminar e evita muitas doenças. Não só a Covid19 – doença do novo coronavírus – mas diarreias, gripes, resfriados, alergias. A higiene é essencial para matarmos o vírus

( Viviane Alves Gouveia,  Departamento de Microbiologia UFMG)

Imagem: United Nations/unsplash
  • Rafael, 5 anos:   O coelho da Páscoa pode sair na rua? Ele pode transmitir o vírus?

O coronavírus fica vivo ainda por algum tempo em superfícies. Então, ele pode ficar numa colher, num copo ou no pelo de um coelho (ou seja, na superfície do animal).

Alguns animais podem replicar o vírus, mas é sempre algo muito pequeno, por isso a chance de a gente pegar o coronavírus por um animal é mínima. É raríssimo algum animal morrer pela Covid-19, porque é uma doença só para ser humano.

Pesando assim, o coelho da Páscoa pode sair à vontade que ele não vai pegar coronavírus e a chance dele transmitir a doença é pouquinha só se algum vírus estiver no pelo dele e o ser humano encostar.

Mas, o Papai Noel, como é velhinho, não vai pode sair. Ele pode pegar o coronavírus e transmitir.

(Leonardo Boscolli, Escola de Veterinária da UFMG)

  • João, de 9 anos: Depois de quanto tempo do contágio, aparecem os sintomas? Por que o coronavírus passa tão rápido de uma pessoa pra outra? O coronavírus pega pelo ar?

Na maioria dos casos os sintomas aparecem em torno de 5 dias, mas pode chegar a 14 dias.

O que aumenta a capacidade de transmissão é que uma pessoa infectada pode transmitir o vírus a outras sem sentir sintomas da doença. Por achar que está normal, essa pessoa pode interagir com outras e transmitir o vírus sem saber. Por isso é importante o distanciamento das pessoas, mesmo daquelas que parecem estar normais.

O vírus é transmitido quando entramos em contato com gotículas que saem da garganta ou nariz de pessoas infectadas quando tossem ou espirram. Parece que também pode ocorrer quando elas falam. Essa é a razão do distanciamento e do uso de máscaras, que evitam parcialmente a transmissão.

A máscara é importante para a pessoa contaminada, pois a maior parte das gotículas fica presa na máscara. Para quem não está contaminado, a máscara protege das gotículas vindas de outros. Essas gotículas também podem ficar em superfícies, como corrimões, maçanetas, mesas, etc.

Uma pessoa pode passar a mão nesse local e ficar com a mão contaminada. Se ela colocar a mão na boca ou nariz, se contaminará. Por isso, é importante lavar a mão frequentemente com água e sabão. Os vírus não resistem a água e sabão. Ainda não se sabe direito, mas pode também haver transmissão pelas fezes. É sempre importante manter a higiene.

(Paulo Sérgio Lacerda Beirão, médico e presidente interino da FAPEMIG)

Sobre o(a) autor(a)

Luana Cruz

Luana Cruz

Jornalista, professora e pesquisadora. É mãe dos gêmeos Martin e Heitor.
frame3

Conteúdo Relacionado

Enable Notifications    Ok No thanks