No último dia 23, a China inaugurou a maior ponte marítima do mundo. A ponte tem 55 quilômetros de extensão e liga a China Continental às suas regiões administrativas especiais, Hong Kong e Macau, além da cidade de Zhuhai. A incrível estrutura que se sustenta sobre o oceano tem trechos de viaduto, túneis e rodovias. O nome oficial desta gigante, em inglês, é Hong Kong-Zhuhai-Macau Bridge e ganhou o apelido de HZMB. Vamos conferir números, técnicas de construção e curiosidades sobre a ponte?

Ponte principal = 29,6 km

Rodovia de ligação Hong Kong = 12 km

Rodovia de ligação Zhuhai = 13,4

TOTAL: 55 km

Trecho de ponte estaiada. Foto: Divulgação governo chinês/www.hzmb.gov.hk

Ponte principal

A ponte principal é composta de um trecho de 22 km de viaduto, sendo, o restante, um túnel imerso no mar. Além de grandiosa é, também, uma beleza da arquitetura por causa do trecho estaiado. Se você nunca ouviu falar neste termo, vai saber logo que observar a foto ao lado. Pontes estaiadas são aquelas com cabos de aço paralelos fixados a um mastro principal. No Brasil, temos este tipo de construção em São Paulo, Aracaju, Natal e outras cidades.

Durante a construção, para minimizar a perturbação da vida marinha e garantir a qualidade das obras foram usadas estruturas pré-fabricadas. Aço, torres e lajes já chegaram prontas ao canteiro de obras somente para montagem e instalação.

Os engenheiros encontraram grandes desafios para erguer esses materiais pré-fabricados, principalmente por conta do peso. Somente uma das torres de aço no trecho de ponte estaiada tem cerca de 3 mil toneladas. Além disso, a corrente de água, os ventos, os barcos e navios que circulam no local dificultaram os trabalhos.

Quantidade total de aço na ponte principal: 420 mil toneladas

Equivalente a 60 vezes a estrutura de aço da famosa Torre Eiffel, em Paris.

Área total do convés da ponte = 700 mil metros quadrados

Equivalente a aproximadamente 98 campos de futebol

Sem falar na trabalheira danada para construir o túnel imerso em mar aberto. Ele foi montado em segmentos menores para superar as condições de instabilidade do movimento da água. Também foram usadas estruturas pré-fabricadas para o trecho submerso, considerando que a profundidade na região é de 45 metros. Para, finalmente, conectar os segmentos do túnel, os construtores usaram a maior barca de elevação do mundo.

Estruturas pré-fabricadas. Foto: Divulgação governo chinês/www.hzmb.gov.hk

Mais desafios

A Rodovia de ligação Hong Kong une a ponte principal ao porto de Hong Kong. Tem trechos de viaduto marítimo e terrestre, além de um pequeno túnel. Somente esta estrada demorou 2 anos e meio para ficar pronta. A obra toda foi realizada em 7 anos, dois a mais que o previsto no projeto.

Para esta parte da obra foram adotadas condições especiais por causa de restrições do relevo na região. Foram necessárias explosões e perfurações  – parecidas com as que são feitas na mineração. Somente as obras de fundação e fortalecimento do solo na rodovia duraram um ano.

Rodovia de ligação Hong Kong . Foto: Divulgação governo chinês/www.hzmb.gov.hk

Um sistema computadorizado com um alto grau de precisão era necessário para sincronizar os movimentos de todos os macacos hidráulicos ao empurrar os gigantescos segmentos pré-fabricados no trecho de túnel da Rodovia de ligação Hong Kong.

Obra de um dos túneis. Foto: Divulgação governo chinês/www.hzmb.gov.hk

Segundo o governo chinês, parte da construção passou por uma área de preservação, o sítio arqueológico Sha Lo Wan. No entanto, o governo garante que a rodovia não trouxe impactos visuais e ambientais para o local, ao contrário disso, completou o cenário natural.

Porto de Hong Kong

O Porto de Hong Kong está localizado em uma área de 130 campos de futebol sobre as águas. Por meio de transporte público, as pessoas podem viajar entre a Ponte principal HZMB, Aeroporto Internacional de Hong Kong e as cidades de Tuen Mun e Lantau, passando por dentro do porto.

Área total do porto = 90 mil metros quadrados

Característica: telhado ondulado projetado para simular ondas do mar

O telhado é sustentado por colunas estruturais semelhantes a árvores para criar uma sensação agradável nas salas de embarque e desembarque.

O prédio principal do porto é muito próximo ao aeroporto, o que impôs desafios aos engenheiros, afinal, não poderia ser um edifício muito alto. Mesmo assim, a construção ficou imponente. Dentro dele, há um sistema de resfriamento do ar que usa água gelada de uma fonte central localizada no subsolo. Assim, o consumo de eletricidade fica entre 20% e 35% menor que os sistemas tradicionais de ar condicionado.

Importante lembrar que nem tudo são maravilhas neste feito inédito da engenharia. A obra envolveu polêmicas e recebeu oposição por causa dos atrasos, altos custos e fins políticos. Críticos, principalmente os moradores de Hong Kong que preferem viver com autonomia, acusam o governo chinês de integrar as regiões administrativas especiais de um jeito forçado.

Desenho do porto. Imagem: Divulgação governo chinês/www.hzmb.gov.hk

Fonte das informações: Governo Chinês