Minas Gerais agora tem um novo espaço da ciência! O Museu da Memória Viva da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), que fica em Uberaba, está aberto para visitações e você pode conferir exposições sobre evolução e o corpo humano. Entrevistamos o responsável pelo museu que contou um pouco sobre o que os visitantes vão encontrar por lá.

De acordo com o professor Rodrigo Rosa, há setores expositivos fixos sobre corpo humano, evolução, arte e cultura, mas também haverá programações temporárias. O visitante passa por um hall de entrada com um memorial da universidade, depois segue explorando outros acervos.

A exposição permanente conta a evolução do homem com réplicas de animais do passado, entre eles o Uberabatitan ribeiroi, o maior dinossauro já identificado em solo brasileiro. Há também réplicas de crânios humanos que ajudam a contar a história evolutiva partindo da famosa Lucy, um fóssil de Australopithecus afarensis de 3,2 milhões de anos até o homo sapiens. O crânio de um índio brasileiro é também destaque na exposição.

Foto: Museu Memória Viva/Divulgação

Foto: Museu Memória Viva/Divulgação

Outros animais estão expostos conservados em formol. Segundo o professor, também é muito rica a parte do museu que mostra os sistemas do corpo humano, desde o desenvolvimento embrionário até a complexidade de cada parte do nosso corpo. “A exposição Decifrando o Corpo Humano é voltada para educação básica. Nem todas as escolas têm laboratório de ciências, por isso o museu serve de apoio para atividades relacionadas à ciência”, explica o professor.

Foto: Museu Memória Viva/Divulgação

Foto: Museu Memória Viva/Divulgação

Por fim, o museu guarda surpresas sobre arte e cultura com exposições de imagens e produções locais feitas com moradores e Uberaba que participaram de projetos de extensão na UFTM. “No futuro queremos ter um seção de artesanato do homem do cerrado, do homem do campo para compor a história local no museu”, conta o professor Rodrigo. Também haverá outras iniciativas de valorização da cultura local abordando, por exemplo, a representação das plantas em cada religião.

O Museu da Memória Viva UFMT fica aberto para comunidade universitária e externa, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h. O acesso às instalações do museu é realizado pelo Centro Educacional da UFTM, instalado na Avenida Getúlio Guaritá nº 159, no Bairro Abadia. Escolas interessadas em visitação podem ser cadastrar pelo site.

“Professores de anatomia humana, juntamente com professores de outras áreas da saúde tinham a proposta de fazer um museu relacionado ao corpo humano. Outros tinham interesse em questões de inclusão social: eventos e ações culturais. Conciliamos essas ideias no espaço Museu da Memória Viva”. Rodrigo Rosa, responsável pelo museu.

Planetário

Uberaba é um grande berço da paleontologia brasileira e por lá também existe o Museu dos Dinossauros dentro do Complexo Cultural e Científico de Peirópolis UFTM, que vale a pena visitar. E as novidades não param por aí…

Na próxima quarta-feira,  3 de outubro,  será inaugurado o Planetário Itinerante. Ele ficará dentro do Complexo Cultural  até o fim de novembro. Os visitantes poderão aprender sobre astronomia, geologia, matemática, paleontologia, física, química, entre outras ciências.

Dia 3 de outubro, será inaugurado o Planetário Itinerante. Foto: Assessoria de imprensa UFTM/Divulgação

Dia 3 de outubro, será inaugurado o Planetário Itinerante. Foto: Assessoria de imprensa UFTM/Divulgação

A instalação faz parte do programa “Para além dos muros da universidade: a divulgação científica por meio de ações socioeducativas e culturais”, e é uma iniciativa dos professores Pedro Donizete Colombo Junior, coordenador, Daniel Fernando Bovolenta Ovigli, Marcos Dionizio Moreira e Thiago Marinho, do Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação.

As visitas ao planetário contarão com três mediadores e serão realizadas mediante agendamento prévio, via e-mail (planetariouftm@gmail.com)  e/ou página do grupo de pesquisa Genfec – Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Não Formal e Ensino de Ciências.