Hoje tem jogo do Brasil! As atenções estão voltadas para o desempenho dos nossos jogadores. Cada vez mais, esportes e ciência estão conectados em várias áreas do conhecimento: saúde, matemática, física, comunicação entre outras.

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa, por exemplo, procurou explicar os fatores que podem interferir nas cobranças de gols.

Medindo os níveis de pressão e cansaço

Os resultados da pesquisa comprovam que a posição do goleiro e as situações de alta pressão e cansaço provocadas pelo jogo podem ter influência direta na conversão das cobranças. Os cientistas mediram como o cérebro reage durante os treinamentos e os jogos.

Entre os equipamentos e métodos usados na coleta dos dados está o Mobile EyeTracking , um óculos que permite identificar para onde o jogador está olhando e dá informações sobre o comportamento da pupila, que possibilitam ter saber o que acontece com o corpo e a mente do jogador.

Imagem ilustrativa do aparelho de EyeTracking utilizado no esporte. Fonte: Acuityets.

Imagem ilustrativa do aparelho de EyeTracking utilizado no esporte. Fonte: Acuityets.

 

 

Também foi usado o Sistema de Testes de Viena que ajuda a entender sobre capacidades básicas como tensão, percepção periférica e tempo de reação. Além de GPS nos jogadores, para monitorar as demandas físicas e fisiológicas.

Segundo o mestrando da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Felippe Cardoso, disse, em entrevista à Rádio UFMG, que o estudo tem mostrado o cansaço mental prejudica a performance dos atletas até em níveis táticos e físicos.

Ciência e Copa do Mundo no rádio

João Pedro Viegas, Luíza Glória (ambos em pé), Marco Túlio Bayma e Bernardo Estillac (à direita): tudo sobre o torneio da Rússia Júlia Duarte / UFMG

João Pedro Viegas, Luíza Glória (ambos em pé), Marco Túlio Bayma e Bernardo Estillac (à direita): tudo sobre o torneio da Rússia
Júlia Duarte / UFMG

Quem se interessa por essa conexão entre a ciência e a Copa do Mundo, pode acompanhar uma abordagem diferente, na cobertura da Rádio UFMG Educativa.

Desde o dia 14, a Rádio UFMG Educativa transmite uma programação especial sobre a Copa do Mundo da Rússia. Os jogos do Brasil são transmitidos via Empresa Brasil de Comunicação (EBC), e os comentários e as análises ficam por conta do programa Nós gostamos de Copa, parceria com a Rádio Estudantil e com a Rádio Terceiro Andar, vinculada ao Departamento de Comunicação da UFMG.

O programa Nós gostamos de Copa é veiculado antes do início das partidas da seleção brasileira, durante o intervalo e após os jogos. O programa apresenta estatísticas das seleções, curiosidades e histórico de disputas nas últimas copas, além de abrir para a participação dos ouvintes pelas redes sociais.

Durante a semana, a emissora apresenta a Tabela da Copa, boletim diário com informações sobre os jogos de cada dia. De segunda a sexta-feira, às 16h45, a equipe de produção da UFMG Educativa apresenta os resultados dos jogos, as movimentações na tabela e a repercussão do andamento do torneio pelo público no Twitter.

Durante a Copa, o Jornal UFMG, de segunda a sexta, sempre a partir das 12h30, veicula duas séries especiais. Em Decifrando a Rússia, especialistas explicam a política, a economia, a cultura, a culinária e outros aspectos do país, além de revelar curiosidades como a história da bandeira e do hino russos. A série Universidade da bola, por sua vez, mostra a importância da ciência para o futebol. Reportagens abordam pesquisas que tentam desvendar aspectos como o impacto da posição do tronco na hora do chute, o processo de tomada de decisão no momento de bater o pênalti e a influência dos goleiros na construção de jogadas ofensivas.

Ao longo da programação, o Break da Copa vai oferece pílulas sobre a história e o futebol dos 32 países que disputam a competição. O ouvinte também pode saber mais sobre A história do penta e escutar trechos de poemas de todos os países, na Copa literária. Outra novidade é o quadro A língua da bola, que revela os significados e as origens de termos utilizados no futebol como “azeitar a bola”, “catar borboleta” e “deu zebra”.

A Rádio UFMG Educativa pode ser ouvida em 104,5 FM ou pela internet.

*Com informações da Rádio UFMG Educativa