Imagine assistir a um filme e não reconhecer os personagens de uma cena para outra. Ou não reconhecer uma amiga depois que ela corta o cabelo. Ou mesmo lutar todos os dias para conhecer os rostos da sua família – até mesmo o seu, no espelho.

Uma em cada cinquenta pessoas no mundo enfrentam esse problema todos os dias. Elas sofrem de uma condição médica conhecida como prosopagnosia ou, popularmente, cegueira facial. Quem sofre desta condição não é cego, enxerga perfeitamente. Porém, simplesmente, não reconhece rostos como a maioria de nós.

É como se você olhasse uma foto de cabeça pra baixo.Todas as partes estão lá: olhos, nariz, boca. Mas o cérebro não consegue ter uma noção imediata dessas característica, da mesma maneira como quando vemos a fotos em posição normal. Faça o teste!

Pessoas com prosopagnosia têm dificuldade em reconhecer rostos, assim como outras pessoas lutam para identificar rostos quando estão de cabeça para baixo. (Veja abaixo para descobrir de quem é esse cara.) PAUL BIRD / WIKIMEDIA (CC BY 2.0)

Pessoas com prosopagnosia têm dificuldade em reconhecer rostos, assim como outras pessoas lutam para identificar rostos quando estão de cabeça para baixo. (Veja abaixo para descobrir quem é este.)
PAUL BIRD / WIKIMEDIA (CC BY 2.0)

Na prosopagnosia, o cérebro das pessoas afetadas não tem a capacidade de reconhecer rostos instantaneamente.

Há pessoas que já nascem com a cegueira facial. Outras, a desenvolvem após uma lesão cerebral, especificamente quando o lobo temporal direito é afetado. Esta área do cérebro, que fica direito do lado da cabeça, logo acima da orelha é responsável por interpretar o que vemos, permitindo-nos identificar objetos, incluindo rostos.

Além da dificuldade na identificação de rostos, algumas pessoas nesta condição também têm problemas para identificar objetos – uma casa ou carro específico, por exemplo.

A TV universitária de Lavras entrevistou a médica dermatologista Eliana de Souza Almeida. Embora não seja especialista no assunto, na família dela existem várias pessoas com o diagnóstico de prosopagnosia, em maior ou menor grau.

Alguns terapeutas estão buscando formas de ajudar as pessoas na identificação, oferecendo maneiras alternativas de reconhecimento: por uma marca de nascença, cabelo, altura, cor da pele, entre outras. 

Dificuldade social

A cegueira facial por lesão cerebral é conhecida pelos cientistas há mais de um século e chegou a ser retratada no filme Rostos na Multidão.

A cegueira facial com a qual alguém nasce – chamada de prosopagnosia desenvolvimental – é uma descoberta mais recente. Mas os cientistas estão aprendendo que essa é a forma mais comum.

À medida que o bebê se desenvolve, o cérebro dele não consegue construir os caminhos que devem se ligar à região necessária para reconhecer rostos. Como eles nunca viveram de outra maneira, as crianças com essa forma da doença – e até mesmo alguns adultos – muitas vezes não percebem que vêem rostos de maneira diferente de outras pessoas. Mas, em algum momento, muitos prosopagnósicos percebem que lutam muito mais do que a maioria dos outros para reconhecer as pessoas.

Faça o teste!

Para ajudar no diagnóstico da prosopagnosia, médicos têm realizado testes em computadores.

Em Londres, os pesquisadores Richard Cook e Punit Shah criaram um questionários de 20 perguntas para ajudar a medir a gravidade da “cegueira para feições”.

A BBC Brasil traduziu o teste para o português e disponibilizou online em forma de game. Mas atenção! O teste serve apenas de guia e não pode dizer de forma segura se você tem a desordem.

Este é o rosto mostrado anteriormente (e de cabeça para baixo) na história: Brad Pitt. Observe o quanto um rosto é mais fácil de reconhecer em sua orientação vertical. O próprio Pitt experimenta a cegueira facial. PAUL BIRD / WIKIMEDIA (CC BY 2.0)

Este é o rosto mostrado anteriormente (e de cabeça para baixo): Brad Pitt. Observe o quanto um rosto é mais fácil de reconhecer em sua orientação vertical. Curiosidade: o próprio Pitt experimenta a cegueira facial.
PAUL BIRD / WIKIMEDIA (CC BY 2.0)

Fontes:

https://www.sciencenewsforstudents.org/article/when-every-face-strangers-face
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/11/151104_teste_reconhecer_faces_lab
https://www.youtube.com/user/tvulavras
http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUOS-937FUG/tese_rodrigo_ribeiro_dos_santos.pdf?sequence=1