Quando você está com muita sede, só pensa em uma coisa: beber água. Nesse momento, seu corpo está trabalhando em um monte de reações químicas para que você saiba da necessidade de ingerir líquido. Quando consegue se refrescar e matar a sede, outras transformações incríveis acontecem sem que você perceba.

O que acontece no seu corpo quando está com sede? Ao beber água, como seu cérebro percebe que já ingeriu suficiente?

O corpo tem uma quantidade de água que varia entre 60% a 70% da composição.  Essa água não permanece o tempo todo, porque perdemos parte dela no suor, na urina ou quando respiramos. Por isso, é importante ingerir água suficiente para cobrir as perdas, sendo recomendável beber entre 2 a 3 litros por dia.

Foto: Torbakhopper/ Flickr

Foto: Torbakhopper/ Flickr

À medida que ficamos desidratados, há menos água circulando no sangue e os neurônios de nosso cérebro enviam uma mensagem dizendo que é hora de procurar água. Sem água, perdemos energia, a pele fica seca e até o humor é afetado.

Em casos de forte desidratação, é liberado um hormônio que reduz a vontade de fazer xixi e a produção de saliva na boca. É aquela sensação ruim de boca seca. Uma pessoa pode até sentir tontura quando está sedenta, o que significa que o cérebro está tentando se adaptar à falta de água.

Se alguém interromper totalmente a ingestão de água, o corpo começará a sofrer com os efeitos mais graves e pode parar de funcionar. Deixar de beber água durante dias, abre caminho para problemas como diabetes, colesterol alto, prisão de ventre, entre outros. O tempo de sobrevivência sem água varia entre três e cinco dias, de acordo com cada pessoa. No entanto, já foram registrados casos de pessoas que conseguiram sobreviver mais tempo.

Na hora da sede, se você toma uma bebida, se sente instantaneamente satisfeito. Essa satisfação rápida ainda é um mistério para a ciência, afinal de contas, você não está derramando água diretamente na corrente sanguínea. Levarão 10 ou 15 minutos para que a água do seu estômago entre no sangue. De alguma forma, seu cérebro sabe disso e está monitorando tudo.

Neurônios mensageiros da sede

Um grupo de cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos Estados Unidos, estudou esses mistérios entre a sede e a satisfação por ingestão de água. Interessados em saber como o cérebro controla a ingestão de líquidos, eles identificaram um conjunto de neurônios bem específicos que enviam a mensagem de “líquido entrando” à medida que o corpo recebe água. Eles fazem uma rede de informações e comunicam outras células sobre a presença de líquido.

Foto: Akihito Fujii/Flickr

Foto: Akihito Fujii/Flickr

Os pesquisadores descobriram que esses neurônios mensageiros da sede não identificam, necessariamente, que tem água entrando. Qualquer líquido ingerido, já é um sinal para que iniciem a rede de informações. Além disso, perceberam que a velocidade de ingestão também afeta a reação dos neurônios. Segundo os cientistas, os mensageiros são estimulados por goladas rápidas, sendo elas pequenas ou grandonas.

Os neurônios mensageiros da sede, portanto, facilitam a saciedade rápida, monitorando a ingestão de fluidos em tempo real. Assim, uma série de goles rápidos pode ser suficiente para o cérebro entender que você já ingeriu água suficiente.

Fonte das informações: You Get Thirsty and Drink. How Does Your Brain Signal You’ve Had Enough? e Hierarchical neural architecture underlying thirst regulation

ESTAMOS FAZENDO UMA PESQUISA. PARA PARTICIPAR, BASTA CLICAR NA IMAGEM ABAIXO.