Já parou para pensar que o seu fone de ouvido pode servir de morada para milhares de fungos e bactérias? Pois é. Pesquisa realizada por alunos de Biomedicina, do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) e apresentada em um evento chamado Circuito Acadêmico, que aconteceu esta semana, mostrou que a quantidade de bactérias encontradas em um fone de ouvido pode ser surpreendente.

A estudante do curso de jornalismo, Jussara Melo, entrevistou o grupo de pesquisadores, formado pelos alunos Cindel Gonçalves, Lorena Cunha, Maria Alice Souza Diniz, Maria Gabriela Diniz, Rafael Teixeira, Rayone Fernandes, Taryanne Gonçalves e Thaynara Santos.

IMG_20171129_092715
Foto: Jussara Melo

Cindel Gonçalves explicou como foi realizada a pesquisa.

A pesquisa mostrou que praticamente todos os fones analisados continham bactérias que podem provocar coceiras, micoses e até infecções graves.

O resultado confirma  outra pesquisa realizada pela professora de biomedicina da Devry Metrocamp, em Campinas (SP), Rosana Siqueira. Lá, foram avaliados 40 fones, sendo 30 do modelo mais comum (que se encaixa na cavidade da orelha) e outros 10 headfones. Os aparelhos analisados pertenciam a jovens e adultos, que costumavam emprestar a outras pessoas e não tinham, na maioria, o hábito de higienizá-los.

Em 87% dos fones foi encontrada contaminação em maior quantidade, inclusive da bactéria Staphylococcus aureus, responsável por infecções de pele – como furúnculo, impetigo -, abcessos, e também infecções das vias aéreas superiores, entre elas, otites e sinusites. Em alguns casos, pode levar até a meningite.

A pesquisa paulista mostra que, no caso dos headfones, embora todos contivessem bactérias, a quantidade era menor, o que torna seu uso um pouco mais seguro, segundo os pesquisadores.

Esse modelo fica em contato com a parte externa da orelha, e também com a pele e o cabelo, ambiente que também favorece o crescimento de fungos e bactérias.

Não compartilhe e mantenha seu fone limpo

O compartilhamento dos fones com outras pessoas não é indicado porque, além dos micro-organismos, a flora auditiva varia de pessoa pra pessoa e há o risco de pegar uma infecção.

O aluno Rafael Teixeira ensina como limpar o fone. Observe que é preciso limpar também o fio, pois ele pode contaminar aquela parte que você coloca dentro do ouvido.

Quer saber mais?

* Entrevistas e vídeos foram realizados pela aluna do curso de Jornalismo do UniBH, Jussara Melo.