O que você pensa quando vê uma palavra que começa como “Bio”?

“Bio” é um termo de origem grega usado em palavras que tenham alguma relação com o ser vivo ou com vida. Diversas palavras usam o prefixo, tais como biologia, biodiversidade, biomedicina e biotecnologia. Resolvemos falar um pouco sobre “bio” porque Minas Gerais ganha, a partir de hoje, uma Biofábrica. Quer saber o que é isso? Vem com a gente!

 Laboratórios que abrigam as atividades da Biofábrica atualmente. Foto: Demerson Sanglard

Laboratórios que abrigam as atividades da Biofábrica atualmente. Foto: Demerson Sanglard

Será lançada nesta segunda-feira, às 14h, a Biofábrica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que ficará no campus Montes Claros, no Norte do estado. Será um grande centro de pesquisa e produção de mudas agrícolas com foco em biotecnologia e melhoramento genético de espécies vegetais.

Complicado? Nada mais é que uma grande fábrica de novas mudinhas que servirão para comunidades locais plantarem na agricultura familiar. As mudas serão resultado de pesquisa e tecnologia para chegarem aos produtores rurais muito mais saudáveis e resistentes.

Cerca de 1.500 famílias da região poderão receber mudas de espécies agrícolas nativas e de interesse no mercado regional, como banana, palma forrageira, mandioca e alho. Esses agricultores terão também apoio técnico dos cientistas que trabalham na Biofábrica.

Plantas cultivadas na Biofábrica. Foto: Demerson Sanglard

Plantas cultivadas na Biofábrica. Foto: Demerson Sanglard

Por dentro da Biofábrica

As pesquisas científicas que darão base à Biofábrica já são desenvolvidas na universidade, mas agora serão ampliadas. O campus vai receber novos laboratórios, estufas, viveiros, área de preparo de insumos, entre outros espaços. Muitas obras precisarão ser feitas e começam no ano que vem.

Os cientistas também precisarão de equipamentos e instrumentos para trabalhar com as mudas como, por exeemplo, autoclaves de grande porte, usados para esterilização, câmara de fluxo laminar, que serve para a manipulação e trabalho com as mudas, incubadoras para o crescimento vegetal, entre outros.

A Biofábrica vai ser um canal para integrar professores, estudantes e produtores rurais em uma troca de saberes entre universidade e comunidades locais. Afinal de contas, todos os conhecimentos são importantes: os científicos e aqueles tradicionais que passam pelas gerações de famílias.

Áreas das atividades de campo da Biofábrica atualmente, mas que serão ampliadas. Foto: Demerson Sanglard

Áreas das atividades de campo da Biofábrica atualmente, mas que serão ampliadas. Foto: Demerson Sanglard