O vídeo que você vai assistir foi produzido por três universitários da Universidade Nacional de Artes em Taiwan, uma ilha que fica do outro lado do planeta. Mesmo assim, você vai perceber que nem é preciso legenda para entender a história da menina e cão Gogo. Confira:

Deu para confirmar aquela velha história de que o cão é o melhor amigo do homem e, é claro, das crianças também! A garotinha é cega e vive um monte de aventuras depois que Gogo se solta da coleira e sai correndo atrás de um bandido que roubou a bolsa dela.

FirstAmerican/ Flickr

FirstAmerican/ Flickr

O cachorro tenta ajudar sua dona. Na verdade, esses bichos ajudam muito mais pessoas do que a gente imagina. Você já ouviu falar em cão-guia e sabe como eles ajudam pessoas com deficiência visual? Vamos contar um pouco sobre esses animais…

O cão-guia é responsável por auxiliar pessoas cegas no dia a dia. Ele é rigorosamente treinado para manter-se firme ao lado da pessoa, movimentar-se somente quando é ordenado, ajudar o acompanhante a entrar em ônibus ou atravessar a rua, ignorar distrações, reconhecer obstáculos no caminho e obedecer a comandos.

Como o cão é treinado?

Apesar de evidências mais antigas de cachorros guiando homens na humanidade, o registro oficial de primeiro cão-guia do mundo ocorreu em 1819, quando o austríaco Johann Wilhelm Klein, fundador do Instituto de Educação para Cegos de Viena, descreveu em um livro os métodos para treinar cães-guia.

A técnica descrita por ele não é mais usada, porém deu origem aos estudos para treinamento de cães-guia.

Jaroslav A. Polák/ Flickr

Jaroslav A. Polák/ Flickr

A formação de um cão-guia é um processo detalhado. A escolha das raças depende muito da cultura de cada país, sendo labrador e golden retriever os mais usados. O treinamento é dividido em três etapas: socialização, treinamento e instrução.

Na primeira fase o cachorro, com dois meses de vida, é adotado por uma família voluntária que vai ensinar tudo a ele, com a supervisão de um instrutor. O animal aprenderá a conviver, se movimentar e a ter bons modos (nada de ficar subindo no sofá em casa ou latindo nos restaurantes!)

Na segunda etapa, os cães vão para uma escola conhecer o trabalho específico de guia. Aprendem, por exemplo, a desviar de obstáculos.

Por fim, na fase de instrução, o animal já começa a viver junto com o acompanhante, mas ainda com um treinador. O condutor também aprenderá sobre os cuidados com seu cão-guia e os comandos necessários para se comunicarem. O processo é concluído quando o cão tem entre um ano e meio e dois anos de idade.

Smerikal/Flickr

Smerikal/Flickr

Como agir com um cão-guia?

Se você estiver passeando pelas ruas e encontrar um cão-guia caminhando com seu condutor, atenção! Existem dicas sobre como agir:

– Não desvie a atenção do cão, chamando por ele ou acariciando;

– Se estiver acompanhado do seu cão de estimação, controle-o para evitar que desvie a atenção do cão-guia;

– Não ofereça alimentos;

– Não se antecipe ou  pegue o braço de um cego acompanhado de um cão-guia, sem antes conversar.

De acordo ONGs que treinam cães-guia, no Brasil há cerca de 100 animais ajudando as pessoas, um número pequeno perto das 7,2 milhões de pessoas com deficiência visual ou com baixa visão – conforme pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Milhares de pessoas ficam cadastradas em filas de espera para receber animais.

Quer saber mais sobre cães-guias? Visite a página de instituições brasileiras que preparam os animais ou que formam treinadores. Selecionamos algumas:

Se você tem interesses por esses temas sobre inclusão, continue nos acompanhando aqui no Minas Faz Ciência Infantil. Em breve teremos matérias sobre a língua brasileira de sinais (Libras)!