Entenda como pequi pode ajudar no combate à obesidade

A casca do fruto símbolo do Cerrado tem ácido gálico, um fitoquímico que ajuda queima de gorduras


Publicado em 10/02/2020 às 08:00 | Por Luana Cruz

Pequizeiro. Foto: Ambientalista e fotógrafo amador/Flickr

O pequi,  fruto símbolo do Cerrado, pode contribuir para a redução do colesterol, ajudar no combate à obesidade e auxiliar na prevenção do diabetes. Este é o resultado de pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação Stricto em Ciências da Saúde (PPGCS) da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), em parceria com o Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O estudo mostra que o ácido gálico, um fitoquímico encontrado principalmente na casa do pequi, pode contribuir para a queima de gorduras. O ácido gálico também está presente na uva, vinho, café e em outras plantas do Cerrado.

Fitoquímico é composto comumente encontrado em plantas e alimentos

O experimento que comprova a ação do ácido gálico foi desenvolvido em camundongos. Segundo o professor Sérgio Henrique Sousa Santos, PPGCS/Unimontes e da UFMG, foi induzida a obesidade nos animais dando a eles dietas ricas em carboidratos e gorduras, que são macronutrientes muito usados na alimentação humana. Em seguida, esses camundongos receberam ácido gálico por mais de 30 dias. “Existem vários trabalhos já descritos sobre efeitos do ácido gálico. O que nós fizemos foi descrever o efeito metabólico”, explica.

Concluiu-se que o ácido gálico diminui o colesterol LDL em camundongos obesos e reduz a gordura, ativando a termogênese, que é a produção de calor por meio da queima do estoque de gordura do tecido adiposo.

Os camundongos perderam peso e melhoraram a glicemia, portanto, o experimento abre perspectivas para novos testes do uso do ácido gálico em humanos. O objetivo dos estudos, segundo Sérgio Henrique, é provar que determinados alimentos ricos em ácido gálico, se consumidos de forma regular, podem beneficiar a saúde e a qualidade de vida.

O pequi tem grande relevância social e para saúde. Foto: Ambientalista e fotógrafo amador/Flickr

A riqueza do pequi

Futuramente, o ácido gálico poderá ser consumido com a finalidade de prevenção da obesidade. Para isso, seria necessário incluir na dieta alimentos funcionais que contenham a substância. “O pequi tem altos níveis de ácido gálico, principalmente na casca que geralmente é descartada”, diz o professor.

Ele destaca a relevância do pequi não só para a saúde. “É um fruto largamente usado na agricultura familiar para subsistência e para venda. Em contrapartida há também grande descarte de pequizeiros com o desmatamento. Entender a importância deste fruto e impacto dele na saúde ajuda a preservá-lo. O pequi tem grande relevância social e agora demonstramos que também é fundamental para saúde”, afirma Sérgio Henrique.

A pesquisa sobre o ácido gálico começou em  2012 e resultou na publicação de artigo científico em revista internacional. Agora poderá subsidiar outros estudos relacionados ao tratamento de obesidade e doenças metabólicas.

Tags

Artigos Relacionados