Conhecimentos de Engenharia de Produção para otimizar hospitais

As técnicas, conceitos e aplicações da Engenharia de Produção auxiliam na otimização de processo na indústria.  Mas esses conhecimentos estão transpondo a barreira dos manufaturados e ocupando espaços em áreas que precisam gerenciar melhor as atividades. É o caso do atendimento em saúde, que vem a cada dia incluindo melhorias em seus ambientes administrativos e operacionais para agilizar cuidados com pacientes e melhorar a qualidade.

O professor José Antonio de Queiroz, do Instituto de Engenharia de Produção e Gestão (IEPG) da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), é especialista no assunto. Ele explica que o objetivo de eliminar os desperdícios e alavancar a produtividade e a qualidade vem do Lean Thinking (pensamento enxuto).

É possível aplicar conceitos e ferramentas Lean a diversas áreas, por isso se fala em Lean Manufacturing e Lean Office, por exemplo. Segundo o professor, atualmente, um terço das publicações envolvendo Lean está relacionado aos ambientes clínico-hospitalares, entrando no grupo de Lean Healthcare.

Nesse sentido, engenheiros de produção buscam elaborar e implantar projetos de Lean em hospitais e, em muitos casos, utilizando a simulação computacional como técnica auxiliar. Os alunos da engenharia aprendem a trabalhar com softwares na missão de melhorar os processos, sejam eles de manufatura, administrativos ou clínico-hospitalares. Porém, o professor destaca que simulação isoladamente não melhora os processos e, por isso, deve estar integrada a outras técnicas, como, por exemplo, o Lean.

Trabalho da equipe do Instituto de Engenharia de Produção e Gestão , na Unifei. Foto: Arquivo dos pesquisadores

Desafio global

Recentemente, a equipe da Unifei composta pelos estudantes de graduação Aline de Lima Magacho e Lucas Cavallieri Segismondi e pelos doutorandos Flávio Fraga Vilela e Gustavo Teodoro Gabriel foi campeã em um desafio global, promovido pela Society for Health Systems (SHS). O grupo é coordenado pelo professor José Antonio de Queiroz e, além do reconhecimento internacional, os vencedores receberam um prêmio de 2.500 dólares.

Estudantes e pesquisadores do mundo todo foram desafiados a buscar soluções – usando simulação computacional – para otimizar um hospital canadense localizado na região de Toronto, que teve sua demanda aumentada abruptamente pelo fechamento de hospitais menores próximos a ele. O FlexSim Healthcare foi o software escolhido para este desafio de melhorar os serviços de um hospital real.

De acordo com o professor, a turma da Unifei utilizou o Lean Healthcare e o Delineamento de Experimentos para identificar desperdícios (o que não agrega valor no ponto de vista dos pacientes) e propor melhorias para aumentar a capacidade e reduzir a espera, o transporte e a movimentação desnecessárias, dentre outros problemas.

“Dados como chegada dos pacientes, tempos de registro, triagem, consulta e tratamento, dentre outros, são coletados e tratados, sendo utilizados na construção do modelo computacional do estado atual. Em seguida, faz-se a validação estatística deste modelo, tornando-o uma representação simulada e validada do sistema real. Com isso, os resultados esperados pelas melhorias Lean implantadas no sistema real serão aqueles observados pela simulação destas mesmas melhorias no modelo computacional”, detalha José Antonio de Queiroz.

Ainda segundo o professor, a simulação possibilita o planejamento das melhorias Lean e a avaliação de seus resultados esperados, eliminando ou minimizando interferências equivocadas no sistema e no paciente. “Em seguida, utilizando-se o Delineamento de Experimentos, seleciona-se para implantação aquelas melhorias que produzirão melhores resultados. Somente após isso, inicia-se a implantação das melhorias selecionadas no sistema real”, finaliza.

“A aproximação de engenharia de produção com a área de saúde é mais do que uma necessidade. Muitas vezes, os sistemas de saúde são geridos por pessoas sem conhecimento em gestão e a engenharia pode melhorar muito a eficiência” (professor José Antonio de Queiroz)

Grupo de trabalho

A equipe vencedora do desafio global faz parte do Núcleo de Estudos Avançados para Auxílio à Decisão (NEAAD), da Unifei. O grupo se dedica a projetos de experimentos, à simulação e à otimização, integrando-os aos conceitos e ferramentas Lean. Eles já encararam trabalhos semelhantes ao feito para o hospital canadense em nível regional, melhorando os serviços de saúde na Santa Casa de Itajubá.

O NEAAD também pesquisa e projeta outras aplicações não relacionadas a área de saúde. Já fizeram trabalhos de alteração de linha de produção industrial e estão com um projeto de simulação em tempo real dentro dos conceitos de indústria 4.0.

Compartilhe nas redes sociais
0Shares