Você já ouviu falar em reciclagem de automóveis? O processo tem por objetivo aproveitar os materiais constituintes dos veículos quando do final de sua vida útil, tornando-os matéria-prima para uma nova produção. É ideia ajuda a reduzir os efeitos danosos de descarte da indústria automobilística, um grande desafio para as empresas do setor. Mas afinal, como funcionaria a reciclagem na prática?

Minas Gerais tem respostas para isso e de forma pioneira. Foi inaugurado, na última semana, o Centro Internacional de Reciclagem Automotiva (CIRA) e a Unidade Piloto de Reciclagem Automotiva (UPRA), localizada no campus II Centro Federal de Educação Tecnológica em Minas Gerais (CEFET-MG), em Belo Horizonte. Essa é primeira iniciativa do tipo na América Latina. O projeto, que teve início em 2010, é uma parceira a Diretoria de Extensão e Desenvolvimento Comunitário do CEFET-MG, a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) e a empresa japonesa Kaiho Sangyo.

Conheça a história do projeto:

Economia circular: envolve conceitos de desenvolvimento sustentável, reaproveitamento e gestão eficiente de recursos. Em breve, a revista Minas Faz Ciência traz uma reportagem especial sobre o tema.Na UPRA, a ideia é aproveitar 95% do automóvel em fim de vida útil, integrado a uma gestão ambiental eficiente na disposição dos resíduos sólidos envolvidos. As atividades consistirão na retirada de pneus, descontaminação, desmonte, estoque de resíduos, área de corte, armazenamento de fluidos e disposição final ambientalmente adequada.

Todo o processo promove a economia circular, transformando resíduos em oportunidades de negócios e contribuindo para a minimização dos impactos ambientais. É um formato de logística reversa fundamental ao ciclo de vida do automóvel, pois possibilita a reciclagem, reutilização, retroalimentação a cadeia industrial, ou destinação final ambientalmente adequada.

 

Foto; Julio Sardinha/ (CEFET-MG)/Divulgação
« 2 de 10 »

Formação

A UPRA usará tecnologia avançada e rastreabilidade de todos os materiais e peças recuperadas dos veículos. Além de contribuir para o desenvolvimento sustentável, a unidade vai ajudar a formar estudantes do CEFET-MG e realizar treinamentos para a comunidade externa. A ideia é incentivar a instalação de plantas semelhantes em outros estados e permitam a formação de profissionais empreendedores neste novo setor econômico, capacitados para a expansão deste tipo de atividade no país.

De acordo com o coordenador do projeto, prof. Daniel Castro, foram feitas parcerias com o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) para treinamentos de agentes. Há perspectivas de abertura do projeto para outros países como a Argentina e Bolívia.

Com informações da assessoria de Comunicação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG)