Quanto de artista tem um cientista? Arte e ciência podem estar mais próximas do que você imagina!

No trabalho do artista visual mineiro Ildeu Lazarinni, a exposição Ellora – uma instalação de 50kg e 8m de comprimento feita com poliuretano, tinta acrílica e alfinetes – a ciência dá lugar ao imaginário.

O trabalho está em exposição na Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura até dia 27 de janeiro.

A técnica utilizada está presente em toda a trajetória artística de Lazarinni.

Em uma experiência de laboratório durante seu doutorado em Engenharia de Biomateriais, ele descobriu no microscópio aquilo que desejava criar em grande escala para ocupar as galerias de arte: a matriz extracelular presente no corpo humano.

Núcleos flutuantes

Ildeu Lazarinni define suas criações como “núcleos flutuantes”. Estes são inspirados no que a ciência chama de matriz extracelular, um conjunto de moléculas que se organizam para, dentre outras funções, acolher as células dos corpos; uma espécie de “casa das células”.

Foi ao visualizar essa matriz extracelular artificial em um microscópio do laboratório da Universidade de Strasbourg (França), que o cientista se descobriu artista:

“Naquele momento percebi que o doutorado não era mais meu foco. Achei aquela imagem incrível e só pensava na plasticidade e nas potencialidades dela”, relembra.

Como na biologia, os 39 “núcleos flutuantes” que integram a instalação Ellora cresceram e ganharam forma nas mãos do artista de maneira espontânea, reunindo-se harmonicamente em diferentes tons de verde, azul, roxo, rosa e lilás.

Exposição Ellora. Foto: Lean Milo

A obra é uma metáfora para a estrutura completa do corpo humano e para nossa essência emocional. Criados com poliuretano da mamona, material sustentável e atóxico, os núcleos também possuem uma membrana protetora formada por alfinetes.

Ellora também é um mundo imaginário e sensitivo, como explica o curador Élcio Miazaki:

“O protagonismo não está na obra em si, mas em como ela se relaciona com o entorno, expandindo sentidos. Ildeu nos mostra que a arte não existe para se explicar, mas para ser sentida, experimentada, vivenciada por todos, em um autêntico diálogo com o outro”.

Há, por exemplo, um caráter dual no uso dos alfinetes, que ao mesmo tempo em que protegem, perfuram. O que isso significa? Essa e outras questões podem ser levantadas pelo público que é livre para encontrar suas respostas.

“Acredito no caráter lúdico da arte. Gosto de imaginar a experiência que cada pessoa terá e como a instalação será diferente para cada uma delas. Isso é o que move minha criação”, revela Lazarinni.

Sobre o artista

Ildeu Lazarinni. Foto: Lean Milo

Nascido em Belo Horizonte (MG) em 1977, Lazarinni é graduado em Odontologia pela Universidade de Itaúna, mestre em Engenharia de Biomateriais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e doutor na mesma área pela UFMG/ Universidade de Strasbourg (França).

De volta ao Brasil, após o doutorado, passou a morar em São Paulo (SP), onde fez um curso de Arte Contemporânea no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM).

O artista já realizou mostras individuais e coletivas na França, na Alemanha e em São Paulo e expôs obras em espaços da Casa Cor de São Paulo e Rio de Janeiro.

A Piccola Galleria é o primeiro espaço mineiro a receber uma exposição do criador dos “núcleos flutuantes”.

A exposição Ellora é uma realização do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Casa Fiat de Cultura, com o patrocínio da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Banco Fidis, Fiat Chrysler Finanças, Fiat Chrysler Participações e Banco Safra. A exposição conta com apoio institucional do Circuito Liberdade, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), Governo de Minas e Governo Federal.

SERVIÇO

Exposição Ellora – Ildeu Lazarinni na Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura                           

Quando? 4 de dezembro de 2018 a 27 de janeiro de 2019. Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.

Onde? Casa Fiat de Cultura. Circuito Liberdade. Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG

Entrada gratuita