Responsáveis, para muitos, pela construção de uma espécie de imaginário acerca dos impactos da mídia massiva sobre os cidadãos – com ênfase na análise da chamada “indústria cultural” –, os pesquisadores Theodor Adorno, Max Horkheimer, Herbert Marcuse, Erich Fromm, Friedrich Pollock, Franz Neumann e Jürgen Habermas são ainda bastante cultuados, problematizados e discutidos.

No livro Grande Hotel Abismo, editada pela Companhia das Letras, o jornalista e colunista Stuart Jeffries, do The Guardian, busca investigar a vida, o pensamento e as vicissitudes intelectuais de tais seminais pensadores, todos ligados ao famoso instituto de pesquisa da Escola de Frankfurt.

Em 2016, como entrevistado do site PopMatters, Jeffries destacaria a dimensão revolucionária e corajosa dos feitos acadêmicos dos autores “frankfurtianos”:

“É difícil imaginar as universidades neoliberais de hoje a produzir algo remotamente similar à teoria crítica, ou pensar numa escola de pensamento que refute, substantivamente, os paradigmas intelectuais vigentes”.

Nos 18 capítulos de sua obra, o jornalista reconstrói as trajetórias biográficas e intelectuais dos setes pensadores da “teoria crítica”.

Há grande fôlego na empreitada do autor, expresso na abrangência do período analisado: de 1900 a nossos dias.

Na fascinante “viagem” pelo universo da construção do pensamento frankfurtiano, Jeffries recorre a pontos fundamentais das investigações de cada filósofo – das inquirições musicais de Adorno ao agir comunicativo de Habermas.

Leia um trecho

“Desde sua criação em 1923, o instituto de pesquisa marxista que ficou conhecido como Escola de Frankfurt esteve acima de partidos políticos e era cético quanto à luta política.Seus principais membros – Theodor Adorno, Max Horkheimer, Herbert Marcuse, Erich Fromm, Friedrich Pollock, Franz Neumann e Jürgen Habermas – foram exímios na crítica à brutalidade do fascismo e ao impacto socialmente eviscerante e espiritualmente esmagador do capitalismo nas sociedades ocidentais, mas não tão bons a ponto de mudar aquilo que criticavam.”

Ficha técnica:

Livro: Grande Hotel Abismo – A Escola de Frankfurt e seus personagens [Adorno, Benjamin, Horkheimer, Marcuse, Pollock, Nemann, Habermas]

Autor: Stuart Jeffries

Tradução: Paulo Geiger

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 452

Ano: 2018