Desde o mês de Maio, o “Guia alimentar brasileiro para menores de dois anos” recebeu a contribuição da sociedade por meio da internet e eventos organizados pelo Ministério da Saúde. Até este mês, a população interessada no assunto pôde contribuir com a produção do Guia que, agora, segue para análise e aprovação do Ministério para posterior publicação.

Segundo Luana Caroline dos Santos, professora do Departamento de Nutrição da UFMG, o Guia alimentar busca traçar diretrizes gerais sobre a alimentação de crianças nos dois primeiros anos de vida. Por meio de uma linguagem acessível e didática, o documento possui o objetivo de auxiliar pais, educadores e profissionais da saúde nas escolhas que tangem à alimentação da criança.

A primeira versão do Guia foi pensada em 2002, mas com a publicação do “Guia alimentar para a população brasileira”, em 2014, pelo Ministério da Saúde, surgiu a necessidade de fazer com que os dois documentos dialogassem e se completassem. Desde então, novas versões estão sendo discutidas e formuladas.

Alimentação natural

Dentre os pontos destacados no Guia para crianças está a importância do aleitamento materno.  “O ideal é que durante os seis primeiros meses de vida, o bebê se alimente apenas do leite materno. A amamentação deve ser continuada até os dois anos de vida da criança, mas sabemos que nem sempre isso é possível, por isso, buscamos mostrar como a família, a empresa onde a mãe trabalha e o outros atores sociais envolvidos podem ajudar nessa questão“, enfatiza a professora.

Outro aspecto destacado pelo Guia refere-se à classificação de alimentos de acordo com o grau de processamento. Luana explica que a alimentação de uma criança em seus dois primeiros anos de vida, deve estar focada no consumo de alimentos in natura.

“Nos primeiros anos de vida, a criança aprende a formar o hábito alimentar e o paladar. Então é importante que nesse período ela não consuma alimentos com um grau elevado de processamento. Assim, uma das coisas que estamos priorizando bastante no Guia é o habito de uma alimentação caseira. É preciso que o brasileiro resgate o hábito de cozinhar em casa e de preparar a própria comida“, alerta.

A versão final do “Guia alimentar brasileiro para menores de dois anos” deve ser lançado em 2019. Além de orientações, o documento também apresentará receitas saudáveis e acessíveis.