Estão abertas as inscrições para o XXIX Prêmio Jovem Cientista. O tema deste ano é “Inovações para Conservação da Natureza e Transformação Social”.

A busca por inovação na conservação dos nossos recursos naturais e na consolidação das transformações sociais necessárias para o avanço da sociedade pavimentará a construção do futuro do país. Estudantes e jovens pesquisadores são fundamentais para o desenvolvimento de novas tecnologias, metodologias e ferramentas inovadoras que possibilitem a melhor compreensão desse contexto e a proposição de novas soluções para questões urgentes da sociedade.

A premiação consiste em mais de R$ 1,2 milhão, entre valores em espécie, computadores portáteis, troféus, diplomas e bolsas de estudo do CNPq (Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado).

As inscrições estarão abertas até às 18h (horário de Brasília/DF) do dia 31 de julho de 2018 e devem ser realizadas no site www.jovemcientista.cnpq.br.

No site encontram-se todas as informações sobre o Prêmio: categorias, linhas de pesquisa, regulamento, vídeos e material de divulgação.

 

Histórico

O PJC foi instituído pelo CNPq em 1981. Atualmente, conta com parceria da Fundação Roberto Marinho e com o patrocínio do Banco do Brasil e da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

Em 2018, o Prêmio Jovem Cientista completa 37 anos. Nesse período, tornou-se um dos mais importantes reconhecimentos aos cientistas brasileiros.

Conheça alguns números:

  • Mais de 5.500 instituições de ensino e pesquisa e mais de 32 mil escolas de ensino médio mobilizadas na divulgação.
  • Mais de 314 pesquisadores especialistas em diferentes áreas do conhecimento e instituições envolvidas na escolha dos ganhadores.
  • 194 agraciados e bolsas de estudos concedidas desde a iniciação científica ao pós-doutorado.
  • Sete pesquisadores doutores premiados com mérito científico.
  • 23 instituições de ensino superior e médio premiadas com o mérito institucional.
  • Temas de relevância nacional em todas as edições, incluindo: saúde, educação, energia, esportes, alimentação, biodiversidade, telecomunicações, água, dentre outros.
  • Mais de 19 mil inscritos envolvendo mestres e doutores, estudantes do ensino superior e ensino médio.
  • Minas Gerais é o segundo Estado com mais agraciados na história do Prêmio: