A interdisciplinaridade pode ser um caminho para dar uma nova cara ao ensino de matemática? Dois projetos da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), unidade de Carangola, trabalham a matemática da sala de aula junto ao cinema e à robótica.

Matemática e robôs

O projeto Robótica para o Ensino da Matemática, desenvolvido nos cursos de Sistemas da Informação e Matemática, já levou metodologias e atividades a escolas. Foram feitos testes em salas de aula, com participação de alunos e professores. Uma das propostas do projeto é fazer com que os alunos criem trajetos para os robôs, através do desenvolvimento e aplicação de cálculos.

Para o professor Bruno Rossi, um dos coordenadores do projeto, a introdução da robótica no ensino da matemática hoje é viável, com o crescimento de cursos de robótica dentro das escolas. A ideia é pensar as duas disciplinas em um espaço comum.

Geometria cinematográfica

Outro projeto que trabalha com interdisciplinaridade no ensino da matemática é o Matemática no cinema – A geometria das câmeras. Ângulos, enquadramentos e formas geométricas são alguns dos elementos explorados pelos pesquisadores, que levaram oficinas de produção de curtas para escolas.

No projeto, a aplicação da geometria em produções cinematográficas transforma a relação do aluno com o entendimento da matemática. A aluna do curso de licenciatura em Matemática da UEMG, Marcela Gonçalves, conta que é um trabalho sobre a percepção dos estudantes sobre a matemática.

Os dois projetos estiveram na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que teve como tema A matemática está em tudo.

Confira entrevista com Bruno Rossi e Marcela Gonçalves no podcast Ondas da Ciência!