Dicionário para surdos em plataforma digital, substituição do sódio no queijo prato para deixá-lo mais saudável, clonagem de sementes de eucaliptos resistentes à ferrugem, game da tabela periódica, refrigerante sustentável a partir de tipos de soros desproteinados e prótese robótica para membro superior com rede neural. Essa é apenas uma pequena lista de projetos de pesquisa que serão apresentados na Inova Minas 2017.

Esta semana você terá a oportunidade de conhecer de pertinho o trabalho de vários cientistas e pesquisadores de Minas Gerais (lista completa) durante a mostra da FAPEMIG, que acontece nos dias 15, 16 e 17. Será um evento de intensa programação no universo da ciência, tecnologia e inovação.

1 – Dicionário para surdos em plataforma digital

Projeto desenvolvido no CEFET-MG busca solucionar a ausência de terminologia para conceitos técnicos e científicos em Libras e integrar de maneira mais efetiva os surdos, as escolas e as universidades.  Os pesquisadores fizeram uma plataforma digital, chamada SignWeaver, que apoiará a criação, o armazenamento e a disponibilização de dicionários terminológicos para atender a esse público em áreas tecnológicas. Amanhã você confere matéria completa sobre este projeto aqui em nosso site.

2 – Adeus ao sódio no queijo prato

Projeto desenvolvido na Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) que propõe a substituição do sódio no queijo prato. Foram usados três substitutos de sódio: cloreto de potássio, Sub4salt®; Salona®, esses dois últimos disponíveis comercialmente.  Os queijos foram salgados em salmoura, com a substituição parcial de 40% do cloreto de sódio pelos substitutos e comparados com o queijo tradicional. O resultado é um produto mais saudável.

3 – Clonagem de sementes de eucaliptos resistentes à ferrugem

Iniciativa visa aperfeiçoar a qualidade da madeira comercializada em Minas. O pesquisador Acelino Couto Alfenas, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), vai apresentar a pesquisa que seleciona genótipos de Eucalyptus cloeziana resistentes à ferrugem, popularmente conhecido como Eucalypto Sucupira em virtude da beleza da madeira. De acordo com o pesquisador, a ideia é clonar sementes resistentes à ferrugem, o que pode melhorar muito a qualidade da madeira e as condições de comercialização.

4 – Game da tabela periódica

É um jogo eletrônico que auxilia os professores no processo de ensino desta tabela. Segundo os pesquisadores da Universidade Federal da Lavras (UFLA), a versão final do jogo vai funcionar em computadores, tabletes e celulares. O jogo propõe uma mudança de perspectiva no ensino deste conteúdo, saindo de uma visão instrucional para uma aprendizagem repleta de descobertas.

5 – Refri sustentável

Outro projeto da Epamig vai mostrar que é possível produzir um refrigerante sustentável a partir de tipos de soros desproteinados (soro permeado de ultrafiltração/microfiltração, soro de ricota ou soro ácido), que normalmente são descartados em milhões de litros diariamente no Brasil.

6 – Prótese robótica

Pesquisadores da PUC Minas  propõem o desenvolvimento de uma prótese robótica para membro superior com rede neural. O produto tem como objetivo reconhecer sinais elétricos provenientes do antebraço para aplicação em uma mão robótica que responda aos comandos humanos de abrir e fechar os dedos.

Inova Minas

A mostra vai muito além desses projetos que contamos por aqui. Cerca de 40 equipes de pesquisadores, de diferentes universidades e centros de pesquisa de Minas Gerais, estarão no espaço Mostra de Resultados apresentando pesquisas à população, explicando trabalhos e dialogando com o público.

Haverá também um espaço para Exposição de projetos das Redes de Pesquisa de Minas Gerais e dos Institutos Nacionais de C&T. Ainda na mostra, será lançado o Portal de Periódicos, uma inciativa de apoio aos periódicos científicos e tecnológicos de Minas.

Vai acontecer um torneio de Cubo Mágico, com a participação do recordista sul-americano Pedro Roque. Ele vai ministrar oficinas para quem deseja aprender a resolver esse quebra-cabeça. Aliás, a Alameda da Educação, será ocupada por caminhões de ciência e competições.

Imperdível também serão as oficinas de degustação da Epamig e UFMG. Serão apresentados produtos como queijo minas artesanal, vinho, azeite e cerveja, relacionando seu sucesso nas mesas e cozinhas de todo o mundo com o investimento em pesquisas.

Estaremos lá!

A equipe do projeto Minas Faz Ciência, programa de comunicação científica da FAPEMIG, lidera um bate papo sobre tendências na área da divulgação da ciência. Durante a conversa, serão apresentadas ferramentas e experiências, com espaço para interação com o público – e acompanhados por um cafezinho.