A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) inaugura nesta segunda-feira as novas instalações do Centro de Ciências. Com três mil metros quadrados distribuídos em quatro andares, o Centro tem capacidade para mais de 700 pessoas. Ao todo, os visitantes poderão aproveitar seis atrações fixas e uma exposição itinerante. Esta é uma oportunidade para vivenciar o mundo da ciência bem de perto.

Tabela Periódica Interativa. Foto: Ciro Cavalcanti/UFJF

No campo da biologia, dá para aproveitar as exposições “Célula ao Alcance da Mão” e o Espaço Interativo do Museu de Malacologia. Na área da Química, se destaca a Tabela Periódica Interativa, que, com o auxílio da tecnologia, ajuda os visitantes a entender a história dos elementos químicos e seus papéis em nosso cotidiano.

 

O Centro ainda conta com a exposição Aprenda Brincando, com 22 experimentos interativos de física, que demonstram os conceitos da área por meio de materiais recreativos.

Telescópio fixo de 20 polegadas é o maior do Centro. Foto: Ciro Cavalcanti/UFJF

Protagonista

Na área da astronomia, a grande novidade é o Observatório Espacial, que tem o maior telescópio didático do Brasil, com 20 polegadas. O equipamento é moderno e permitirá a visualização de astros, galáxias e da atividade astronômica em geral.

Há também outros 10 telescópios móveis, incluindo um específico para observação do Sol. Esses equipamentos são dotados de câmeras com capacidade para fazer fotos dos astros, binóculos, cúpula retrátil com 6,7 metros de diâmetro e outros itens.

Será possível observar estrelas, lunações, crateras lunares e planetas do nosso sistema solar. Ademais, os visitantes podem aproveitar a  sala de exposição do Museu de Arqueoastronomia (Sala Franz Hochleitner).

O objetivo do museu é apresentar como civilizações antigas apreendiam e compreendiam o cosmos. Na sala,  estão expostas peças da cultura de Tiwanaku – considerada a mais antiga da América do Sul – como um vaso cerimonial Keru (em cerâmica) e alfinetes de bronze.

Também há uma réplica da Porta do Sol, um monumento com inscrições de um calendário astronômico complexo, encontrado em ruínas da Bolívia.

Além das seis atrações fixas, há um salão com programação itinerante. Atualmente, é possível mergulhar nas teorias estudadas na física nuclear com a exposição Energia Nuclear. A produção é uma parceria da UFJF com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e permanecerá até o fim de 2018.

Seguindo sua tradição de popularização da ciência, o Centro se estende para além da universidade e será disponibilizado para visitações de todos os interessados em observar de perto o universo e se aproximar do conhecimento científico de forma interativa. A entrada é gratuita. Visitas guiadas precisam ser agendadas com antecedência e serão mediadas por estudantes da universidade.