O coração que bate acelerado ao lado da pessoa amada, o frio no estômago, a mão suada…

Sensações promovidas pelo corpo humano inspiram poetas e aguçam a curiosidade de cientistas que querem entender como o amor se processa em nosso organismo!

Para expressar o amor em fórmulas e moléculas, a estudante do Departamento de Química da UFMG, Pollyana Faria, promove a exposição “Moléculas do Amor” que mostra alguns dos principais hormônios que atuam como cúpidos biológicos.

Confira no Ciência no Ar: